7 fatos importantes sobre a dengue para se proteger!

mosquito-da-dengue

O verão é o período de maior incidência da dengue, pois apresenta um clima favorável para a proliferação do seu transmissor, o mosquito Aedes aegypti. Se você quer saber mais sobre a doença, suspeita ter sido infectado ou já está realizando tratamento, esse artigo pode te ajudar a tirar as suas dúvidas. Confira 7 fatos importantes sobre a dengue para se proteger:

A dengue é um dos principais problemas de saúde pública no mundo

Não é só no Brasil que a dengue é uma preocupação pública. Em 2013, foi registrado o maior surto do país, com cerca de 2 milhões de casos notificados. Contudo, o número de pessoas infectadas estimado pela Organização Mundial da Saúde (OMS) anualmente está entre 50 e 100 milhões de pessoas em mais de 100 países. Principalmente países tropicais e subtropicais, que oferecem as condições climáticas favoráveis para proliferação da doença. Dessas, 550 mil pessoas precisam de hospitalização, enquanto 20 mil morrem.

A dengue não é transmitida de pessoa para pessoa

Ela é transmitida pela picada do mosquito Aedes aegypti. De aparência comum, cor marrom escuro ou preta e listras brancas por todo o corpo, o mosquito se alimenta do sangue humano e, caso a pessoa picada esteja contaminada pelo vírus da dengue, o mosquito pode se infectar automaticamente. Após um período de cerca de 10 dias de incubação, o mosquito infectado começa a transmitir a doença para novas pessoas ao longo de toda a sua vida, que dura cerca de 6 a 8 semanas.

Mas o ciclo de transmissão não acaba por aí. A fêmea do mosquito transmite o vírus também para seus ovos. Ela deposita ovos em recipientes com água em condições adequadas: lugar úmido e quente, com temperatura média de 30º C, e em cerca de 2 dias o embrião se desenvolve. Dez dias depois, ao saírem dos ovos, as larvas permanecem na água por cerca de uma semana até se transformarem em mosquitos. A partir deste momento estão aptos a picar pessoas. Como evitam o sol forte, costumam picar nas primeiras horas da manhã e nas últimas da tarde. E em qualquer horário à sombra ou dentro de casa.

Quais são os sintomas da dengue?

Depois da picada, o período de incubação no homem, isto é, antes dos primeiros sintomas, é de 4 a 10 dias.

Contudo, na maioria dos casos, o organismo é capaz de combater o vírus antes de os primeiros sintomas surgirem, eliminando a doença sem nem ao menos a pessoa tomar conhecimento dela.

O vírus da dengue possui quatro variações, isto é, sorotipos: DEN-1, DEN-2, DEN-3 e DEN-4. Eles causam os mesmos sintomas e podem progredir para os mesmos tipos de quadro, que são:

Dengue clássica: com sintomas parecidos com a gripe, a dengue clássica é a forma mais leve e mais comum da doença. Seus sintomas costumam durar de 5 a 7 dias, incluindo:

  • Febre alta e repentina;
  • Dores de cabeça e atrás dos olhos;
  • Manchas na pele;
  • Cansaço;
  • Tontura;
  • Dor muscular, nos ossos e nas articulações;
  • Náuseas e vômitos.

Dengue hemorrágica: com sintomas iniciais semelhantes aos da dengue clássica, mas a partir do terceiro ou quarto dia a febre diminui e começam a surgir hemorragias. Isso porque a dengue hemorrágica causa alterações no sistema de coagulação sanguínea, levando ao sangramento de pequenos vasos dos órgãos, como a pele. Os sintomas da dengue hemorrágica são na realidade sinais de alerta e incluem:

  • Dores abdominais;

  • Sangramento (pele, gengivas e nariz);

  • Manchas avermelhadas pelo corpo;

  • Vômitos;

  • Palidez;

  • Hipotermia;

  • Alterações no nível de consciência;

  • Dificuldade respiratória;

  • Queda da pressão arterial.

Síndrome do choque da dengue: com a queda ou completa ausência da pressão arterial, a pessoa pode entrar em um estado de choque, a maior complicação da dengue conhecida como síndrome do choque de dengue. Trata-se de uma complicação não muito comum, mas que pode ocasionar várias sequelas neurológicas e cardiorrespiratórias, além de insuficiência hepática, hemorragia digestiva e até mesmo a morte. Os sinais de alerta neste caso são:

  • Dor abdominal intensa;
  • Mudança de temperatura do corpo e suor excessivo;
  • Variação de comportamento;
  • Alterações circulatórios, como pulso rápido e fraco;
  • Palidez;
  • Convulsões;
  • Irritabilidade;
  • Perda de consciência.

O choque em si tem curta duração e requer terapia antichoque apropriada para garantir recuperação, que costuma ser rápida. Caso contrário, pode levar ao óbito de 12 a 24 horas.

Em caso de suspeita, é preciso realizar o exame de sangue para dengue

Em caso de presença de sintomas e suspeita de dengue, é preciso procurar um Doutor imediatamente. Além de avaliar o quadro sintomático, ele solicitará o exame de sangue para dengue como forma de confirmar o diagnóstico. O exame leva cerca de 3 dias para ficar pronto. Enquanto isso, outros exames deverão ser realizados para verificar a presença de complicações ou sinais de gravidade.

Contagem de plaquetas, dosagem de albumina e Hematócrito são os mais importantes para o diagnóstico e acompanhamento. Além disso, existem exames específicos para descoberta do tipo de vírus atuante.

Durante o processo, é preciso fazer repouso, ingerir bastante líquido e retornar à clínica médica conforme solicitação do Doutor.

É preciso ficar atento aos sinais de alerta para combater complicações

A partir da segunda ou terceira infecção, o risco de desenvolver a dengue hemorrágica ou síndrome do choque da dengue aumenta. Para se proteger, é preciso ter atenção aos sinais de alerta, isto é, sintomas que indicam a possível presença de complicação. São eles os sangramentos, dores abdominais persistentes e fortes, vômitos, sonolência, tontura e irritabilidade. No caso desses sintomas ou do próprio choque, é preciso buscar ajuda médica imediata em um posto de saúde ou hospital.

Não existe medicamento específico para combater a dengue

Hoje em dia já existe uma vacina específica contra a dengue, mas não existem medicamentos que possam combater a doença diretamente. O tratamento, portanto, consiste em aliviar os sintomas, como a febre e as dores, que podem ser combatidas com medicamentos antitérmicos, como paracetamol e dipirona.

É importante lembrar que medicamentos que contenham ácido acetilsalicílico ou qualquer substância associada, como a aspirina devem ser evitados, bem como anti-inflamatórios não hormonais, pois têm efeito anticoagulante, aumentando o risco de sangramentos.

Água parada dá dengue!

Como não existem formas de prevenção contra a doença, é preciso agir diretamente no foco: prevenir a multiplicação do mosquito. Como? Simples:

Para combater o mosquito:

  1. Coloque areia nos vasos de plantas onde a água fica parada;
  2. Livre-se dos pneus velhos;
  3. Mantenha garrafas sempre com a boca para baixo;
  4. Lave a vasilha de água do bicho de estimação regularmente;
  5. Mantenha as tampas de caixas d’água fechadas;
  6. Limpe bem piscinas e calhas;
  7. Higienize o ralo com desinfetante regularmente.

Para evitar picadas:

  1. Use roupas que diminuam a exposição da pele durante o dia;
  2. Utilize repelentes que contenham DEET, IR3535 ou Icaridin;
  3. Faça uso de inseticidas domésticos;
  4. Instale telas nas janelas e portas em casa e use mosquiteiros.

Apesar de estar espalhado pelo mundo, você pode evitar que ele esteja perto de você ou da sua família. Faça sua parte por um mundo livre da dengue.

Se precisar, consulte um Doutor do Bem aqui!

Posts relacionados

4 Responses

Deixe uma resposta