Afinal, o que é AVC?

médico analisando resultados de tomografia para avc

Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), mais de cinco milhões de pessoas morrem, anualmente, decorrente do AVC. Contudo, grande parte da população ainda não conhece o problema e, por isso, não sabem como preveni-lo.

Nesse artigo, vamos explicar o que é o AVC, quais os seus sintomas, os tratamentos disponíveis e possíveis métodos de prevenção. Confira!

O que é AVC?

Conhecido também como derrame cerebral, o Acidente Vascular Cerebral (AVC) é problema que acomete os vasos sanguíneos que levam oxigênio ao cérebro. Uma vez que esse órgão não recebe o oxigênio necessário para o funcionamento das células, fica paralisado, podendo evoluir, assim, para a morte cerebral.

A falta de oxigenação pode acontecer por dois motivos:

  • AVC Isquêmico: Quando os vasos sanguíneos da região cerebral entopem;
  • AVC hemorrágico: Quando os vasos sanguíneos do cérebro se rompem.

O Acidente Vascular Cerebral pode levar à morte, já que o cérebro é o responsável pelo comando dos órgãos e funções vitais do organismo. Por isso, é importante ressaltar que, quanto mais cedo o paciente for diagnosticado com o problema, maior é a chance de tratamento e de recuperação, e menor a probabilidade de sequelas.

Quais são os sintomas?

Uma pessoa que esteja prestes a sofrer um AVC costuma apresentar vários sintomas de uma vez, que podem ser percebidos dias ou até mesmo meses antes, nas atividades mais comuns do cotidiano.

Entre os principais sintomas estão:

  • Ausência de força em um lado do rosto, braço ou perna;
  • Formigamentos constantes de um lado do corpo e na parte superior da cabeça;
  • Dificuldade em falar, enxergar ou se movimentar;
  • Cansaço extremo;
  • Náuseas e vômitos;
  • Crises de dor de cabeça e vertigens incessantes.

Existe tratamento?

Sim! O AVC é amplamente conhecido pela medicina e possui diversos tratamentos específicos para cada causa. Nos casos mais graves, o paciente é submetido a um procedimento cirúrgico para desentupir os vasos obstruídos e/ou restaurando aqueles que foram rompidos.

Por vezes, ainda é necessário a instalação de cateteres, a fim de monitorar a pressão no crânio. Medicamentos também são usados em certos tratamentos, atuando na dissolução de coágulos e na manutenção de vasos acometidos por placas de gordura.

Como, em alguns casos, o AVC pode provocar sequelas, a área médica também tem expandido os métodos de tratamento voltados para a recuperação das áreas cerebrais afetadas (motoras, sensoriais e/ou psicológicas).

Como me prevenir?

Em alguns casos, o Acidente Vascular Cerebral pode ser causado por fatores inevitáveis, como idade e predisposição genética. No entanto, na maioria dos casos, ele pode ser evitado, a partir de hábitos saudáveis e atitudes de prevenção no dia a dia.

Mantenha hábitos saudáveis

Evitar o uso de fumo e de todos os seus derivados, realizar atividades físicas regularmente e manter uma alimentação saudável, evitando o excesso de sal, gorduras e açucares. Isso é fundamental para evitar o risco de um AVC.

Fique atento a outros problemas de saúde

Pessoas com hipertensão, obesos e diabéticos devem ter atenção redobrada! Não se pode esquecer também que doenças cardiovasculares e colesterol alto devem ser tratados o mais rápido possível, já que aumentam as chances de AVC.

Faça visitas regulares ao médico

O AVC é um problema grave que afeta cada vez mais pessoas e, neste caso, o melhor remédio é a prevenção. Por isso, faça visitas periódicas ao médico e esteja sempre atento ao aparecimento dos primeiros sintomas, afinal, buscar ajuda imediata é fundamental para o sucesso do tratamento e para a recuperação do paciente.

Quer mais dicas sobre saúde? Assine nossa newsletter e fique por dentro de todas as novidades!

Posts relacionados

Deixe uma resposta