Anafilaxia: o que fazer em casos de alergias graves?

Anafilaxia: o que fazer em casos de alergias graves?

O que é anafilaxia?

O famoso choque anafilático, também conhecido como anafilaxia, é uma reação alérgica generalizada grave e, possivelmente, fatal do organismo quando em contato com uma substância estranha. Ela surge minutos ou mesmo segundos após a exposição.

O tratamento, portanto, deve ser iniciado tão rapidamente quanto a reação alérgica. Aos primeiros sinais, é fundamental chamar uma ambulância imediatamente, ligando 192, pois o paciente deve ser encaminhado para o pronto-socorro ou um hospital o quanto antes. E, caso desmaie, deve ser deitado de lado para prevenir o engasgo.

Quais os sinais e sintomas da anafilaxia?

Um quadro comum de alergia geralmente inclui sintomas como coceira, inchaço ou manchas avermelhadas. O quadro se torna grave quando esses sintomas de pele surgem associados ao comprometimento de outros sistemas do organismo, apresentando sintomas como comprometimento respiratório e sintomas gastrointestinais.

Os sintomas mais comuns da anafilaxia são:

  • Dificuldade em respirar ou respiração com chiado;

  • Coceira;

  • Manchas vermelhas na pele;

  • Inchaço da boca, nariz ou olhos;

  • Dor abdominal;

  • Náuseas e vômitos;

  • Aceleramento dos batimentos cardíacos;

  • Palidez;

  • Suores intensos;

  • Tonturas;

  • Confusão;

  • Desmaio.

 

O que é uma reação alérgica?

A reação alérgica é uma resposta anormal e exagerada do organismo após contato com uma substância estranha que, para a maioria das pessoas, não indicaria nenhuma ameaça. Trata-se de uma reação do sistema imunológico para combater aquele agente e expulsá-lo do organismo.

O que pode causar alergia?

Geralmente, a alergia tem relação genética e não apresenta riscos para o portador, apenas quando ele entra em contato com o agente causador da alergia. Alguns desses agentes, também chamados alérgenos, são:

  • Ácaros, fungos;
  • Picadas de insetos (abelhas, marimbondos, formigas entre outros);
  • Pelos de animais;
  • Pólens e pó;
  • Alimentos, como leite, ovo, camarão, amendoim e glúten;
  • Medicamentos.

Apesar de surgir devido a uma herança genética, a alergia só é desencadeada após exposição a esses fatores ambientais, gerando episódios alérgicos sempre que há contato e podendo acometer indivíduos em qualquer faixa etária.

Com tratar a anafilaxia?

Ao chegar no pronto-socorro ou hospital, o primeiro passo será auxiliar a respiração por meio da administração de uma injeção de adrenalina subcutânea para minimizar o inchaço das vias aéreas e o choque, entre outros benefícios.

Além disso, uma máscara de oxigênio poderá ser colocada no rosto do paciente ou, e casos mais graves, um procedimento cirúrgico poderá ser necessário para abertura da garganta por meio de um pequeno corte que permitirá a respiração. Esse procedimento é fundamental para prevenir lesões graves no cérebro devido à falta de oxigenação. A internação por algumas horas pode ainda ser necessária como forma de monitorar o paciente.

Como prevenir o choque anafilático?

Para evitar crises, é importante consultar um Alergologista do Bem para realizar testes de alergia com possíveis substâncias e identificar as causas da reação alérgica. Uma vez identificado, é necessário evitar o contato ou exposição ao alérgeno.

Em alguns casos, no entanto, o Doutor poderá recomendar o uso de injeção de Epinefrina, que deverá estar sempre acessível ao paciente em caso de surgirem sintomas de choque.

Quer ter acesso à solução completa de saúde? Acesse nosso site: www.consultadobem.com.br 😉

Posts relacionados

Deixe uma resposta