Você sabe quando a ansiedade deixa de ser normal?

homem-sentado-com-crise-de-ansiedade

A sensação de ansiedade é uma vivência comum de qualquer ser humano. É um sinal de alerta, que serve para avisar sobre um perigo iminente e possibilita a tomada de medidas para enfrentar uma possível ameaça. A ansiedade é uma resposta a uma ameaça desconhecida, interna, vaga ou de origem conflituosa.

A ansiedade ou angústia é um estado emocional que consiste em um sentimento difuso, desagradável e vago, de apreensão e desamparo com ou sem objeto identificável, podendo ser compreensivelmente relacionado à situação atual do indivíduo. Engloba sintomas psíquicos (medo, apreensão, expectativa, desrealização) e físicos (taquicardia, palpitações, tremores, sudorese, dispnéia, dores ou aperto no peito, dores de cabeça, etc.). 

É um fenômeno presente em quase todos os transtornos mentais, e onipresente na nossa vida. Uma pessoa ansiosa também pode sentir inquietação, indicada por incapacidade para permanecer sentada ou imóvel por muito tempo. O conjunto de sintomas presentes durante a ansiedade tende a variar entre as pessoas.  

A síndrome de ansiedade generalizada caracteriza-se pela presença de sintomas ansiosos excessivos, na maior parte dos dias, por pelo menos seis meses. A pessoa vive angustiada, tensa, preocupada, nervosa ou irritada. Tensão motora (tremores, inquietação e cefaléia), hiperatividade autonômica (falta de ar, sudorese excessiva, palpitações e vários sintomas gastrintestinais) e vigilância cognitiva (evidenciada pela irritabilidade e facilidade com que se sobressalta) são os principais sintomas. Nesses quadros são freqüentes também: insônia, dificuldade em relaxar, angústia constante e dificuldade em concentrar-se; sintomas físicos como tontura, dores musculares, formigamentos; referem-se a tais estados, as designações populares como “gastura”, “repuxamento dos nervos” e “cabeça ruim”.

Para se fazer o diagnóstico de uma síndrome ansiosa é também necessário verificar se os sintomas ansiosos causam um sofrimento clinicamente significativo e prejudicam a vida social e ocupacional do indivíduo. Muitas vezes devido aos sintomas físicos apresentados o indivíduo inicialmente busca a ajuda de um clínico geral, porém um transtorno médico não psiquiátrico raramente é encontrado. Portanto, é necessário a busca por profissionais da área psi como psiquiatras e psicólogos. 

O que você pensa a respeito? Deixe seu comentário :)

 

 

Fonte: Compêndio de Psiquiatria

Dalgalarrondo, P. Psicopatologia e semiologia dos transtornos mentais, Porto Alegre: Artes Médicas Sul, 2000.  

 

Filme sugerido: Adaptação (“Adaptation”), 2002.

Charlie Kaufman (Nicolas Cage) precisa de qualquer maneira adaptar para o cinema o romance “The Orchid Thief”, de Susan Orlean (Meryl Streep). O livro conta a história de John Laroche (Chris Cooper), um fornecedor de plantas que clona orquídeas raras para vendê-las a colecionadores. Porém, além das dificuldades naturais da adaptação de um livro em roteiro de cinema, Charlie precisa lidar também com sua baixa auto-estima, sua frustração sexual e ainda Donald, seu irmão gêmeo que vive como um parasita em sua vida e sonha em também se tornar um roteirista.

 

descrição-doutora-sobre-ansiedade

Posts relacionados

Deixe uma resposta