Cefaleia: a famosa dor de cabeça!

Cefaleia: a famosa dor de cabeça!

A famosa dor de cabeça, mais conhecida no meio médico como cefaleia, é uma condição frequente que pode surgir sozinha ou indicar a presença de uma doença.

Entre os tipos mais comuns está a cefaleia tensional que, como o próprio nome diz, surge devido ao excesso de tensão na musculatura, especialmente na região posterior do pescoço. Apesar de ocorrer em crianças e adultos de todas as idades, é mais comum entre as mulheres: cerca de 88% do público afetado é do sexo feminino! :O

Ela apresenta características e intensidade variáveis, mas, geralmente, a dor pode ser classificada entre leve e moderada. A dor de cabeça pode indicar enfermidade ou o sintoma de outra doença, durar dias ou períodos curtos, dependendo de sua causa. A própria fome pode causar o problema. Contudo, algumas dores de cabeça podem não apresentar causa aparente.

Causas da dor de cabeça

Existem dois tipos de dor de cabeça: as cefaleias primárias, dores de cabeça que indicam a enfermidade e o sintoma concomitantemente, e as cefaleias secundárias, que se manifestam como sintomas de outras doenças, apenas.

Existem vários tipos de cefaleias primárias. A cefaleia tensional é um dos mais comuns. Segundo a Sociedade Brasileira de Cefaleia, cerca de 38% a 74% dos brasileiros sofrem com cefaleia tensional.

Esse tipo de dor pode ser aguda, durando menos de 15 dias por mês, ou crônica, com duração superior a 15 dias por mês. Geralmente resulta da tensão prolongada da musculatura cervical ou ao redor do crânio. Em forma de peso ou aperto na testa, nuca ou parte superior da cabeça, a dor costuma ser bilateral e com intensidade de leve a moderada. Geralmente a dor é descrita como a sensação de que há uma faixa muito apertada ao redor da cabeça pressionando o crânio e pode ter duração de meia hora a dias.

Apesar de a causa deste tipo de dor ser desconhecida, sabe-se que não existe a influência do fator genético. No entanto, essas dores de cabeça geralmente são desencadeadas por algum evento estressante, acúmulo de estresse de modo geral, ou pela simples tensão da musculatura da parte posterior do pescoço, que pode ocorrer devido a diversos fatores, como: falta de repouso ou cansaço, fome, má postura, excesso de esforço, fadiga visual ou estresse emocional ou mental, incluindo depressão e ansiedade, além de outros episódios, como a perda de um emprego. Dessa forma, ela pode surgir devido a um episódio isolado ou estar relacionada ao acúmulo de estresse.

Como saber se é cefaleia tensional

Além da dor, que geralmente ocorre no final do dia ou após algum evento estressante, outros sintomas relacionados à cefaleia tensional são:

  • Leve pressão na cabeça (frente, topo ou laterais);
  • Fadiga e cansaço;
  • Irritabilidade;
  • Tensão e dores musculares;
  • Problemas de atenção e concentração;
  • Dificuldade para dormir ou manter o sono.

Diagnóstico e tratamento

O tratamento da dor de cabeça depende de sua causa e só pode ser indicado por um Doutor especialidade – a especialidade que cuida dessa condição é o Neurologista, mas o Clínico Geral também pode ajudar.

O Doutor analisará os sintomas e o histórico completo do paciente e poderá solicitar exames de sangue e de imagem, como ressonância magnética, tomografia de crânio e eletroencefalograma podem ser necessários para confirmar o diagnóstico.

Para o tratamento da cefaleia tensional, o uso de analgésicos comuns costuma funcionar, principalmente quando associado a mudanças no estilo de vida, como se alimentar e dormir bem e praticar exercícios, são eficazes no combate e no alívio da dor.

Dicas do Bem para combater a cefaleia tensional

O controle da cefaleia tensional está muito relacionado a mudanças nos hábitos do dia a dia, na tentativa de fugir do estresse diário. Como isso nem sempre é possível, algumas dicas são fundamentais, como:

  • Evite a automedicação e também não fique esperado a dor passar por conta própria. Busque ajuda médica e siga as recomendações do Doutor sempre que necessário.
  • Procure identificar o que provoca sua dor. Se você souber quais hábitos causam o problema, fica mais fácil evitá-los.
  • Para aliviar a dor, faça compressas quentes sobre a cabeça (ou frias, caso considere mais eficiente);
  • Mantenha sempre a postura correta para evitar tensões musculares;
  • Mantenha uma dieta balanceada, rica em fibras e água, e diminua o consumo de cafeína e açúcar.
  • Pratique atividades físicas de forma moderada;
  • Mantenha bons hábitos de sono;
  • Evite fumar e ingerir bebidas alcoólicas.

Atenção! A dor de cabeça forte e repentina ou persistente requer atendimento médico pois pode indicar uma condição grave, especialmente se estiver associada a outros sintomas, como confusão mental e sonolência.

O histórico completo do paciente e poderá solicitar exames de sangue e de imagem, como ressonância magnética, tomografia de crânio e eletroencefalograma podem ser necessários para confirmar o diagnóstico.

Para saber mais, consulte um Doutor do Bem! Encontrar um pertinho de você no www.consultadobem.com.br 😉

Posts relacionados

Deixe uma resposta