5 doenças de pele por exposição ao sol

5 doenças de pele por exposição ao sol

“Se eu pudesse dar um conselho em relação ao futuro, eu diria: usem filtro solar.”

Essa é a primeira frase do clipe viral “Use filtro solar” ou, em inglês, “Wear Sunscreen” como ficou mundialmente conhecido. O clipe é na verdade um comercial institucional emocionante que rodou o mundo trazendo uma das dicas mais valiosas que um desconhecido (ou uma empresa) pode oferecer. E é disso que iremos falar hoje!

Basta o verão chegar e logo começa aquela dúvida: usar ou não protetor solar. E aí?

O uso protetor solar contra doenças de pele

Você pode ser o tipo de pessoa que usa protetor solar todos os dias (e até reaplica ao longo do dia), ou aquele tipo que nunca usa porque sempre esquece, ou aquele que quer mesmo é pegar um bronze e não vê necessidade de atrapalhar o sol nesse processo.

Independente dos seus hábitos, hoje nós convidamos você a entender um pouco mais sobre a importância do protetor solar para tomar suas decisões de forma mais consciente. Porque a verdade é: a única forma de se proteger do sol sem se privar da exposição solar é o uso do protetor solar.

Faça chuva ou faça sol, o protetor solar é fundamental. Contudo, no verão, os raios ultravioletas A e B (UVA e UVB) ficam mais intensos e, por isso, representam um perigo maior para a pele, o maior órgão do corpo humano.

A realidade é que, em baixa dosagem, a radiação UV é muito benéfica para o ser humano, sendo essencial para a produção de vitamina D e no auxílio ao tratamento de várias doenças, como o raquitismo, a psoríase e a eczema. Entretanto, em alta dosagem, pode ser muito perigosa e resultar em danos crônicos para a saúde da pele, como o câncer de pele.

A ação do protetor consiste em criar uma camada protetora sobre a pele, impedindo o acesso da radiação às suas células. O protetor solar, portanto, reduz a intensidade da ação dos raios ultravioletas, protegendo a pele de complicações como:

Melasmas

Se você é uma daquelas pessoas que gostam de ficar expostos ao sol com bastante frequência, precisa conhecer o melasma. O melasma é uma doença que surge no longo prazo, mais comum em que fica frequentemente exposto ao sol sem proteção.

O melasma pode surgir em qualquer pessoa. Contudo, é mais comum em mulheres, especialmente quando fazem reposição hormonal, tomam anticoncepcionais via oral ou durante a gestação.

O único sintoma do melasma são as manchas escuras que aparecem geralmente no rosto, como na testa ou maçãs do rosto.

Fitofotodermatose

Sabe aquela mancha escura que aparece na pele após contato com alguns alimentos (como frutas cítricas) e exposição solar? A pele, quando em contato com algumas substâncias e exposta ao sol, pode sofrer um processo inflamatório ou de queimaduras, provocando manchas, como é o caso da fitofotodermatose.

A fitofotodermatose é o nome dado às manchas causadas pelo uso dessas substâncias seguido da exposição solar. E isso pode acontecer mesmo quando o dia está nublado, pois os raios ultravioletas são capazes de atravessar as nuvens.

Mas não se preocupe! Essas manchas não representam problemas para a saúde. Quanto à aparência, elas levam, aproximadamente, um ano para desaparecer totalmente.

Queimaduras

Ficar com a pele vermelha, arder e descascar depois de tomar sol pode ser a cara do verão. Mas, acredite, não é uma situação saudável para a pele. Além de essa prática não fazer bem para a derme, ela é na verdade uma queimadura, que pode ser de 1º, 2º ou 3º, dependendo da intensidade.

Queratose actínica

Sabe aquelas pequenas feridas vermelhas que não desaparecem? Elas recebem o nome de queratose actínica e surgem devido à exposição solar exagerada. Pode-se dizer que elas são um dos principais motivos para uma consulta com o dermatologista. E isso acontece porque, além de elas não desaparecerem, apresentarem um aspecto rígido e áspero, que pode se expandir ao longo do tempo.

E não é apenas seu tamanho que pode crescer. Ao longo dos anos, as chances de desenvolver um câncer de pele também aumentam em cerca de 20%. Fique atenta e não deixe de passar protetor solar nas partes do corpo que ficam mais expostas, pois é nessas partes mais desprotegidas que as feridas costumam surgir.

Câncer de pele

Câncer mais comum em todo o mundo, o câncer de pele está entre as doenças de pele mais sérias que podem surgir. As chances de desenvolver um câncer de pele aumentam conforme a frequência da exposição solar sem proteção. Isso porque os raios ultravioletas danificam o DNA das células da pele e, quando o dano afeta o DNA dos genes que controlam o crescimento das células da pele, o câncer de pele é provocado. 

Um dos principais sintomas do câncer, e também sinal de que é preciso buscar ajuda médica, é a presença de alguma alteração na pele, como o aparecimento de lesões escuras, feridas que nunca cicatrizam ou pintas que mudam de formato.

Refletindo sobre isso, “use filtro solar” é ou não é o melhor conselho que alguém poderia dar?

Cuide da sua pele. E, se precisar de ajuda especializada, procure um Dermatologista do Bem!

Quer ter acesso à solução completa de saúde? Acesse nosso site: www.consultadobem.com.br 😉

Posts relacionados

Deixe uma resposta