Como aliviar Bronquite e Asma no frio?

Cropped shot of a small girl sitting on a floor and using her inhaler

O inverno ainda nem chegou, mas já sabemos que vamos bater os dentes pra falar a palavra frio este ano! No inverno, temos a tendência de ficar em locais fechados para nos aquecer, o que eleva a possibilidade de contrair infecções respiratórias virais. Resfriados, gripes, pneumonias, crises de asma e bronquite ocorrem com maior frequência nesta estação, quando a temperatura está mais baixa.

Por isso, alguns cuidados especiais são necessários, especialmente para quem sofre com Asma ou Bronquite quando todo o cuidado é bem vindo para manter a qualidade de vida. Por isso, vamos tirar as suas dúvidas sobre essas doenças e ajudar você a passar por esse invernão sem crises! Literalmente. :)

Asma e Bronquite

Antes de mais nada, é preciso distinguir as duas doenças. Isso é importante porque não é legal ser rotulado com uma doença que não tem. Além disso, elas possuem tratamento e prognóstico diferentes a longo prazo. Por isso, é fundamental acertar no diagnóstico.

Existem dois tipos de bronquite: a aguda e a crônica. Diferentemente da asma e da bronquite crônica, a bronquite aguda é um quadro transitório e melhora espontaneamente, como a gripe. A bronquite crônica, por sua vez, é uma doença bem menos benigna que a asma, na maioria dos casos.

Confira mais detalhes sobre as três doenças:

 

Asma Bronquite Aguda Bronquite Crônica

O que é

Doença inflamatória das pequenas vias aéreas dos pulmões, os bronquíolos. Processo inflamatório transitório dos brônquios, vias aéreas mais largas.

Quadro inflamatório persistente das vias aéreas.

Causas

Ainda desconhecida. A genética tem importante influência. Geralmente, por uma infecção de origem viral, como a gripe.

Exposição prolongada a substâncias nocivas, como a fumaça do cigarro, que irrita e causa destruição e posterior cicatrização da parede das vias áreas e do tecido pulmonar ao seu redor.

Frequência

Os períodos de crise são intercalados com períodos de melhora.

Geralmente um quadro isolado, que pode ocorrer uma vez na vida.

Períodos de crise de acordo com o grau da doença.

Principais sintomas

Falta de ar, tosse e chiado no peito (sibilos) Tosse persistente, seca ou com expectoração (com duração de até 20 dias).

Tosse tipicamente com catarro persistente, falta de ar, broncoespasmo (sibilos) e cansaço para executar atividades.

Controle e tratamento

Utilização de broncodilatadores, as famosas bombinhas para asma. Com o uso, a possibilidade de reverter a redução do calibre das vias aéreas é grande. Cuidados básicos com a saúde e acompanhamento de um Doutor do Bem.

O uso de broncodilatadores age apenas sobre os sintomas, pois as vias aéreas já foram destruídas.

Cura

Não há cura. Contudo, seguindo o tratamento corretamente, o paciente pode obter o controle da doença e reduzir o risco de novas crises. Melhora espontaneamente após algumas semanas.

Não há cura.

Idades mais comuns Crianças, antes dos 10 anos. Qualquer idade.

Adultos (principalmente fumantes há anos)

 

Enquanto na asma a doença fica restrita às vias aéreas sem causar lesões permanentes na maioria dos casos, na bronquite crônica, ocorre destruição e formação de cicatriz não apenas nas vias aéreas, mas também no tecido pulmonar.

A bronquite crônica é uma doença progressiva: seu quadro piora ao longo dos anos. Chega um momento em que a dificuldade respiratória é permanente e o paciente sente a necessidade de receber oxigênio suplementar mesmo em repouso. Junto com o enfisema pulmonar, a doença integra o grupo DPOC, Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica.

Principais Perguntas Sobre a Bronquite Crônica:

  1. A bronquite crônica é uma doença grave?

Depende do grau de evolução da doença. A doença apresenta graves riscos, mas pode ser amenizada se o paciente seguir o tratamento corretamente e adotar um estilo de vida mais saudável.

  1. O que causa a bronquite crônica?

A doença é caracterizada por uma inflamação das vias aéreas dos pulmões. Essa inflamação dos brônquios é resultado principalmente do fumo do cigarro. Contudo, a poluição atmosférica, a inalação prolongada de pó, gases ou poeiras químicas, solventes e outras substâncias irritantes também podem gerar a doença.

  1. Como se faz o diagnóstico de bronquite crônica?

O diagnóstico é essencialmente clínico, baseado nos relatos do paciente. Para confirmá-lo, o médico poderá solicitar exames, como testes de função respiratória, radiografia do tórax, eletrocardiograma e exame de sangue.

  1. Como é o tratamento da bronquite crônica?

Feito sob orientação médica, já que se trata de uma doença de evolução progressiva, o tratamento difere para cada paciente, dependendo do estágio evolutivo da doença.

  1. Como prevenir a bronquite crônica?

A forma de prevenção mais importante é evitar a exposição à fumaça do cigarro. Também é importante evitar locais com níveis elevados de poluição atmosférica e usar proteção adequada (máscaras) quando se está profissionalmente exposto a poeiras ou vapores irritantes.

  1. Bronquite crônica tem cura?

Não. Apesar de não haver cura para a bronquite crônica, a adesão ao tratamento atrasa a progressão da doença para as formas mais graves. A medida mais eficaz é deixar de fumar.

Principais Perguntas Sobre Asma:

  1. Quais são as causas da asma?

Ainda não se sabe ao certo quais são as causas fundamentais da asma. Mas existem alguns fatores de risco que podem contribuir com o surgimento da doença quando combinados:
– predisposição genética,
– infecções respiratórias;
– substâncias e partículas que podem provocar reações alérgicas ou irritar as vias aéreas, como:  poeira, ácaros, fungos, pelos de animais, pólens, fumaça de cigarro e outros tipos de fumaça, poluição do ar ou exposição a irritantes químicos.
– outros estímulos podem desencadear as crises, como a exposição ao ar frio, excitação emocional extrema, odores fortes, exercício físico e uso de certos medicamentos (aspirina e outros anti-inflamatórios não-esteróides, beta-bloqueadores – usados no tratamento da hipertensão, doenças cardíacas, enxaqueca e colírios para glaucoma).

  1. A asma se manifesta em que idade?

Qualquer idade. Inclusive, é comum que a asma que ocorre na infância desapareça na adolescência e retorne na vida adulta.

  1. Como identificar uma crise de asma?

Os sintomas mais comuns são a sensação de aperto no peito, falta de ar, chiado ao respirar e tosse. Isso acontece devido ao processo conhecido como broncoespasmo: os músculos que circundam as vias aéreas são contraídos, estreitando a passagem do ar e, consequentemente, dificultando a respiração.  

  1. Como controlar os sintomas da asma?

Para facilitar a passagem do ar para o pulmão, o paciente deve utilizar os broncodilatadores, popularmente conhecidos como “bombinhas”. Pacientes com sintomas persistentes podem devem utilizar a medicação diariamente como forma de prevenção. Ainda para prevenir, é essencial evitar exposição a estímulos que irritam ou inflamam as vias aéreas.

  1. Os sintomas da asma são mais severos em pessoas mais velhas?

Nem sempre. Contudo, a asma pode ser mais severa entre os idosos. Isso porque pessoas idosas podem apresentar outras doenças, como diabetes, hipertensão e doenças cardíacas, apresentando mais dificuldade em uma crise de asma.

  1. O medicamento pode ser abandonado se o paciente sentir melhora dos sintomas?

A medicação preventiva é a melhor solução para o controle da asma. Qualquer alteração na utilização dos medicamentos deve ser tomada com a ajuda do doutor.

  1. Infecções provocam asma?

Sim, infecções respiratórias virais, como a gripe e o resfriado, podem resultar em crises de asma. Por isso, é fundamental que pacientes com asma evitem contato com pessoas com alguma infecção respiratória e locais muito fechados onde o risco de contaminação aumenta.

  1. A asma pode piorar se o paciente estiver estressado?

Sim. Embora nem todos os pacientes tenham essa sensibilidade, o estresse emocional (preocupação, tristeza, etc) pode desencadear crises em algumas pessoas.

  1. A asma pode levar à morte?

Pode. Contudo, a maioria das mortes por asma ocorre em pessoas que não recebem tratamento adequado.

  1. Asma tem cura?

Ainda não. Mas o tratamento correto garante qualidade de vida para o paciente.

10 Dicas do Bem para uma vida Livre de Crises Asmáticas:

  1. Manter os cômodos da casa com as janelas e portas abertas, sempre arejados e evitar cômodos úmidos e fechados.
  2. Substituir tapetes e carpetes por pisos de material liso para não acumular ácaros.
  3. Dar preferência para cortinas de materiais leves e lavá-las frequentemente;
  4. Evitar roupas e cobertores de lã ou com pelos;
  5. Evitar ter animais de estimação. Os pelos e penas podem causar alergia;
  6. Evitar móveis e objetos desnecessários que possam acumular pó;
  7. Guardar roupas, livros e brinquedos em armários e nunca mexer com papéis, roupas e objetos guardados por muito tempo;
  8. Limpar a casa frequentemente com pano úmido, especialmente os cantos da cama e evitar vassouras, espanadores ou aspiradores que levantam pó quando o paciente estiver em casa;
  9. Manter a cama distante das paredes;
  10. Praticar exercício aeróbico regular (em caso de qualquer complicação, é preciso conversar com o doutor para realizar as atividades físicas sem desconforto).

Resumindo, não existem doenças como a popular “Bronquite asmática”. Existem Asma e Bronquite. Em caso de qualquer suspeita, consulte um Pneumologista do Bem! E aproveite o friozinho sem crises! 😉

Posts relacionados

6 Responses

  1. Wildson Posser

    Quando fico exposto ao frio sinto chiado e tosse com expectoração fico muito aflito as vezes para aliviar tomo whisky com limão e mel e sinto melhor. Será que isso é legal?

    1. Wildson, é importante você tirar essa dúvida com um profissional da saúde, para ele avaliar o seu caso e diagnosticar os seus sintomas (chiado e tosse com expectoração), assim como para te orientar o melhor “tratamento”.

Deixe uma resposta