Custos com saúde cresceram acima da inflação para empresas: como o Consulta do Bem pode ajudar?

Como o Consulta do Bem pode ajudar a sua empresa com os custos com saúde que cresceram acima da inflação?

Se você realiza a gestão de sua companhia ou integra o Departamento de Recursos Humanos, sabe que os planos de saúde representam a segunda maior despesa no orçamento de RH. Tratam-se de 10 a 20% dos gastos totais desse departamento – atrás apenas da folha de pagamento.

Além de custoso, o benefício pode ser imprevisível. No últimos anos, registrou alta contínua, superando a inflação a passos largos. E a realidade não é diferente para 2017: enquanto a inflação esperada gira em torno de 4%, o índice de reajuste dos planos de saúde definido pela Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) chega a 13,55% para o período entre maio de 2017 e abril de 2018.

Segundo pesquisa realizada pela Associação Brasileira de Recursos Humanos (ABRH- Brasil), em parceria com a Aliança para Saúde Populacional (ASAP), 81% das companhias alegam que os custos dos planos superaram a inflação nos últimos 12 meses, sendo que o valor dobrou a inflação em 55% delas. A pesquisa englobou 668 profissionais de RH, representando 3 milhões de beneficiários dos planos de saúde corporativos.

De forma geral, como o reajuste dos planos de saúde empresariais não é regulado pela ANS, as empresas podem atualizar de forma independente. Especialistas de saúde justificam o aumento dos preços dos planos de saúde com base no uso intenso e exagerado dos serviços, o que inclui o número elevado de procedimentos, como cirurgias e próteses, e mesmo realização de exames repetitivos.

De acordo com dados da ANS, médicos de planos de saúde no Brasil solicitam mais exames do que em países desenvolvidos. Um exemplo é a quantidade de ressonâncias magnéticas realizadas no país, que hoje supera em 153% o número de exames per capita dos países da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE).

Para piorar o cenário, muitos resultados de exames não são sequer retirados, sendo deixados no próprio laboratório. Além disso, o estilo de vida percebido em muitos colaboradores é avesso ao esperado em uma postura preventiva. Apesar de utilizar intensamente o plano de saúde, se recusam a adotar uma mudança no comportamento de risco, mantendo maus hábitos alimentares,  sedentarismo e sobrepeso, sem mencionar o descuido com doenças crônicas, como pressão alta e obesidade. No final das contas, quem financia a maior parte desses gastos e desperdícios são as empresas que, por não acompanharem de perto o uso dos planos, acabam absorvendo o prejuízo.

Embora os planos de saúde representem uma fonte alta de despesas para empresas, poucas planejam e adotam medidas com foco na conscientização e prevenção de fatores de risco nos hábitos de vida dos colaboradores. “Programas de qualidade de vida em empresas são ações estratégicas para redução de custos com planos de saúde e, sobretudo, proteger a vida e saúde de seus colaboradores. Atuar sobre as causas, e não sobre os efeitos, é a forma mais eficiente de resolver problemas”, afirma o Dr. Carlos Ballarati, sócio-fundador do Consulta do Bem.

Esse cenário de forte pressão de custos e urgência na substituição da adoção de tratamentos pelo comportamento preventivo se apresenta como uma oportunidade para gestores e líderes de RH desenvolverem ou aprimorarem suas estratégias na gestão da saúde corporativa, convertendo o desperdício de recursos em economia para a empresa e bem-estar para o colaborador.

Para garantir a eficácia das estratégias e programas, alguns fatores devem ser gerenciados. Entre eles estão a definição de políticas preventivas planejadas de acordo com as necessidades do quadro de colaboradores, juntamente com programas específicos para gestão de grupos de risco, como diabéticos e hipertensos, que acabam por utilizar mais intensamente o benefício; a avaliação da opção de coparticipação de colaboradores no pagamento das despesas com consultas e exames e a adoção de indicadores efetivos  para acompanhar a evolução do processo. Estratégias de negociação também devem ser consideradas no momento de adesão aos planos, bem como a possibilidade de troca de fornecedores quando necessário.

Como o Consulta do Bem pode ajudar a sua empresa com os custos com saúde que cresceram acima da inflação?

Nesse contexto de alta dos planos e novas tendências globais de saúde, cada vez mais empresas estão com seu radar ligado à procura de soluções inovadoras, que diminuam sua vulnerabilidade ao crescimento das despesas com saúde e os impactos negativos deste benefício em seus resultados financeiros.

O Consulta do Bem apresenta-se, neste cenário, como uma alternativa ao plano de saúde – oferecendo, além de benefícios tradicionais, algumas vantagens extras focadas na inovação do benefício dentro das empresas.

E quais são alguns dos benefícios do Consulta do Bem?

A empresa pode optar por oferecer o benefício apenas para o colaborador ou estendê-lo para seus familiares. A solução, portanto, é oferecida em dois planos:

  • Benefício Colaborador, um plano individual, com uso exclusivo do colaborador;
  • Benefício Família, que possibilita a inclusão de até 3 dependentes por colaborador.

Em ambos os planos, a assinatura contempla o acesso do colaborador à extensa rede do Consulta do Bem, com todos os serviços de saúde disponíveis e pagos por uso: consultas, exames, vacinas, pronto-socorro, cirurgias e desconto em medicamentos, em mais de 9 mil farmácias distribuídas pelo Brasil.  A empresa realiza a assinatura do plano para o colaborador ter acesso à rede, que possui serviços de saúde a preços extremamente mais reduzidos do que no sistema privado de saúde comum, enquanto o colaborador pode contratar os serviços de forma individualizada, conforme suas necessidades. Trata-se, portanto, da coparticipação do colaborador na gestão do benefício.

  • Solução completa de saúde em uma única plataforma.

A solução completa de saúde está compilada em uma única plataforma online, com acesso simples e prático. O agendamento pode ser feito online e o colaborador consegue manter e acompanhar todo o histórico de consultas e procedimentos realizados.

  • Pagamento por uso a preço acessível

Como contratar um plano de saúde não significa utilizá-lo, a solução oferecida pelo Consulta do Bem permite o pagamento do serviço apenas a partir de seu uso. Além de a assinatura do plano ser acessível e personalizada para cada empresa, os procedimentos têm valores extremamente reduzidos mesmo se tratando do sistema de saúde privado, com toda a sua tecnologia e expertise.

  • Exclusivo serviço de concierge

Os planos incluem o concierge, uma equipe de especialistas na área da saúde disponível para atendimento por telefone a todos os clientes Consulta do Bem. Antes de agendar uma consulta ou ir ao pronto-socorro, por exemplo, o colaborador tem a opção de entrar em contato pelo concierge para tirar dúvidas e receber orientações sobre sintomas, possíveis causas, ações preventivas ou procedimentos, entre outros. Trata-se do inovador serviço de telemedicina, de uso ilimitado e exclusivo para colaboradores de empresas assinantes.

Quer saber mais sobre a solução ou sobre estratégias de gestão da saúde corporativa? Entre em contato conosco e receba uma proposta personalizada! Essa é a oportunidade de investir no que realmente interessa: a saúde de seus colaboradores e de sua empresa. Acesse nosso site: empresas.consultadobem.com.br 😉 

Deixe uma resposta