Estresse: Saiba identificar os sintomas!

Pelo menos 5 a cada 10 pessoas que você conhece já devem ter dito a clássica frase “estou estressado”. Você mesmo provavelmente já pensou isso algumas vezes. Mas será que estava (ou está) mesmo?

A realidade é que o estresse é uma reação orgânica natural do ser humano. Ele serve para ajudar as pessoas a superar os frequentes desafios do dia a dia, contribuindo com a motivação e desempenho para realização de atividades difíceis. Por exemplo: ele ajuda no alcance de metas e cumprimento de prazos apertados. Em resumo, o estresse pode ser encarado como uma estratégia de sobrevivência na vida moderna.

Apesar de não existir estresse positivo ou negativo, ele pode ser benéfico ou prejudicial à saúde do indivíduo dependendo de como o mesmo encara as experiências e situações do dia a dia.

O estresse pode ser classificado de duas formas:

  1. Eustresse (“eu” do grego = lindo, bom): o estresse sentido frente a atividades consideradas interessantes pela pessoa, como realizar uma prova ou uma entrevista de emprego. Nesse caso, ela interpreta que a situação enfrentada vem acompanhada de uma recompensa, por isso se sente motivada a vivenciá-la.
  2. Distresse (“dis” do grego = mal, difícil): a partir do momento em que a pessoa começa a considerar a situação muito difícil ou se frustra, é comum começar a sentir o estresse na perspectiva negativa. Dessa forma, o estresse torna-se negativo quando é excessivo.

É quando o estresse está em excesso que as reclamações começam. Ele pode surgir ao longo da vida em períodos tumultuados, como no início de um emprego novo ou ao descobrir uma doença. É caracterizado por episódios de cansaço extremo, preocupação e irritação, geralmente solucionados após mudanças de hábitos ou de um simples descanso. Se não resolvido, além de ser um problema em si, afetando a qualidade de vida, o estresse está relacionado como fator de risco para diversas outras doenças, como problemas cardíacos e até mesmo câncer.

E não são poucas as pessoas que sofrem com o problema. A Organização Mundial da Saúde (OMS) reconhece o estresse como uma epidemia global, uma vez que atinge mais de 90% da população mundial.

Como saber se estou sofrendo de estresse?

Apesar de nem sempre possuir causas específicas, o estresse apresenta sintomas bastante característicos, não apenas do estresse, mas também de outras doenças. Procure um Psicólogo ou Psiquiatra do Bem se estiver apresentando:

  • Ansiedade constante;
  • Tensão;
  • Respiração acelerada;
  • Batimento fora do ritmo ou acelerado;
  • Suor excessivo;
  • Tontura;
  • Tremores, como nas pernas;
  • Boca seca;
  • Necessidade frequente de urinar.

Como evitar o estresse?

Às vezes pode ser impossível evitar situações externas que podem desencadear o estresse. Por isso, é fundamental adotar hábitos saudáveis que envolvam:

  • Alimentação balanceada: a energia necessária para enfrentar os desafios do dia a dia é adquirida por meio da alimentação. Sem essa energia, o organismo torna-se vulnerável ao cansaço e, consequentemente, suscetível ao estresse.
  • Sono de qualidade: muitos nutrientes são absorvidos durante o sono. Além disso, esse período representa um descanso necessário para o organismo.
  • Prática regular de atividades físicas: além de relaxar, o exercício físico incentiva a liberação de hormônios, como a adrenalina, que melhoram o funcionamento do organismo.
  • Mudança de pensamento: o estresse parte de um pensamento negativo de frustração. Uma atitude positiva frente a situações difíceis pode funcionar como uma barreira contra a aceitação do estresse.

Estresse tem tratamento?

Sim! O tratamento do estresse pode ser feito por meio de sessões terapêuticas, prática de esportes ou uso de medicamentos, muitas vezes naturais. Na maioria das vezes, tratar o estresse é tarefa simples. O melhor tratamento, no entanto, deverá ser indicado por um médico para ser eficaz. Nunca se auto-medique!

Como aliviar o estresse?

É ineficiente fazer uso de álcool em excesso, fumar, comer em excesso ou muito pouco, dormir demais ou passar horas em frente à TV para combater o estresse e podem até mesmo piorar os sintomas.

Para aliviar o estresse e tratá-lo na raiz, a dica mais importante é identificar a fonte desencadeadora do problema e tentar eliminá-la ou conviver com ela, aceitando-a. Caso não seja possível, é fundamental adquirir hábitos saudáveis:

  • Faça exercícios de relaxamento, como alongamentos;
  • Medite;
  • Coma alimentos leves durante todo o dia;
  • Durma 8 horas por noite;
  • Pratique esportes ou exercícios físicos;
  • Evite pessoas ou problemas que possam causar irritação;
  • Não evite desafios. Priorize suas atividades diárias, comemorando as metas atingidas e aceitando as metas ainda não realizadas.

Se o estresse persistir, consulte um Psicólogo ou Psiquiatra do Bem. O estresse pode ser muito perigoso para a saúde. Para eliminar esse fator de risco da sua vida, ninguém melhor do que um especialista 😉

Posts relacionados

Deixe uma resposta