Hipotireoidismo: como é o diagnóstico?

Hipotireoidismo: como é o diagnóstico?

A tireoide é uma das glândulas mais importantes do organismo. Localizada logo abaixo do pomo-de-adão, além de ser responsável por regular a velocidade do metabolismo, ela interfere no desempenho de órgãos vitais, como o coração, no funcionamento do intestino, no peso, no ciclo menstrual, no raciocínio e na força muscular. Tudo isso por meio da produção de dois hormônios essenciais: o T3 (tri-iodotironina) e o T4 (tireoxina).

Em outras palavras, a tireoide fornece a energia vital para que o organismo funcione. Difícil é citar uma parte do organismo que não é afetada quando a tireoide não funciona corretamente!

Cerca de 10% das mulheres acima de 40 anos e em torno de 20% das que têm acima de 60 anos manifestam algum problema na tireoide. Mas não são apenas as mulheres que estão sujeitas a desenvolver doenças na tireoide. Qualquer pessoa, independente de sexo e idade, podem apresentar alterações.

E, falando em alterações, as duas doenças mais comuns quando isso acontece são o hipotireoidismo, caracterizado pela produção baixa ou nula de hormônios, e o hipertireoidismo, que retrata o quadro oposto, isto é, a produção excessiva de hormônios.
Hoje vamos falar do hipotireoidismo.

Entre as causas do hipotireoidismo, a mais comum é uma doença autoimune (o próprio organismo começa a atacar a tireoide) chamada Tireoidite de Hashimoto. Essa doença provoca a diminuição gradativa da glândula. Resultado: ela não consegue realizar a produção hormonal necessária.
De forma geral, os fatores de risco da doença estão relacionados ao histórico familiar (disposição genética), estilo de vida e alimentação da pessoa.

Sintomas Hipotireoidismo

Sabe quando você sente que seu metabolismo parece estar desacelerado? Esses são os sintomas do hipotireoidismo: a frequência cardíaca diminui, há ganho de peso e aumento do colesterol no sangue, o indivíduo sente-se mais cansado, sonolento, com perda de memória, intestino preso, sem apetite e com humor alterado. Todas essas condições podem levar, inclusive, à depressão.

Existem ainda outros sintomas, como enfraquecimento e queda de cabelos, fraqueza e dores musculares e alterações no ciclo menstrual.

Diagnóstico e Tratamento do Hipotireoidismo

Não é possível realizar o diagnóstico apenas por meio da observação dos sintomas. O fato de alguns sintomas serem compartilhados por ambas as doenças e, principalmente, por serem vastos e dependerem de cada indivíduo, torna necessária a realização de testes laboratoriais.

Dessa forma, o Doutor poderá solicitar exames, como o ultrassom da tireoide e a dosagem do hormônio TSH (produzido pela hipófise) e dos hormônios T3 e T4, fundamentais para realização de um diagnóstico acertado.

O hipotireoidismo é caracterizado por níveis elevados de TSH e baixos de T3 e T4. O tratamento do hipotireoidismo, por sua vez, é muito eficaz e se dá por meio da reposição do hormônio T4, que deve ser realizado ao longo de toda a vida.

Dicas do Bem para evitar, conviver e ajudar no diagnóstico do Hipotireoidismo

  1. Fique de olho na alimentação! Essas é uma das melhores estratégias para manter a tireoide sob controle e prevenir problemas.
    O que pode: iodo e selênio, mas nunca em excesso. Você não deve salgar demais a comida.
  2. O que não pode: uma dieta rica em sal, bem como açúcar, gorduras saturadas e alimentos industrializados.
  3. Nunca pule o café da manhã. De manhã, temos um pico na produção de cortisol que como os hormonios tireoeanos e fundamental para a homeostasia do organismo. Por esse, e outros motivos, dizem que o café da manhã é a refeição mais importante!
  4. Saiba como se autoexaminar: com um espelho em mãos, procure a tireoide. Ela está localizada no pescoço, logo abaixo do Pomo de Adão (o famoso gogó). Estenda a cabeça para trás e, olhando para a região, beba um gole de água. Observe o movimento de sobe e desce da tiróide. Faça esse procedimento várias vezes à procura de qualquer nódulo ou profusão na sua tireoide
  5. Procure ajuda médica! Se notar qualquer protrusão, consulte um Endocrinologista do Bem.

Quer ter acesso à solução completa de saúde? Acesse nosso site: www.consultadobem.com.br 😉

Posts relacionados

Deixe uma resposta