A importância de brincar com os filhos

importancia de brincar para aprendizagem

Brincar faz parte do processo de aprendizagem

Não é segredo para ninguém que crianças amam brincar. Apesar disso, o tempo para brincadeiras está sendo, cada vez mais, consumido por outras atividades, como deveres escolares e atividades extracurriculares, uma vez que, no senso comum, elas estimulariam mais a produtividade do que o divertimento.

 

É muito comum que os pais ignorem o real valor da brincadeira para os filhos, acreditando que brincar seja uma forma exclusivamente de entretenimento. E, para os pais, a prioridade é saber se seus filhos estão aprendendo e se desenvolvendo.

 

Contudo, a verdade é que, para uma criança, é impossível desenvolver todo o potencial se a brincadeira não integrar o processo de aprendizagem. Nas palavras do pediatra e psicanalista inglês Donald Woods Winnicott, “a brincadeira é universal e é própria da saúde: o brincar facilita o crescer, logo a saúde”.

 

Na agenda da criança e dos pais deve sempre ter um espaço em branco: o momento para fazer nada – e, portanto, brincar! A hora de brincar é uma oportunidade de desenvolvimento para a criança. Por meio da brincadeira, ela experimenta o mundo, reflete sobre a realidade, assimila a cultura em que está inserida, explora novas possibilidades, compreende relações sociais, organiza suas emoções, desenvolve seu senso de autonomia e autoestima. E aprende.

 

O valor da brincadeira excede o simples entretenimento para entrar no campo da aprendizagem e do desenvolvimento emocional, social e cognitivo da criança. Entre os diversos benefícios de brincar, estão:

 

Desenvolver o equilíbrio emocional

Perder ou ganhar, conseguir ou não conseguir… as brincadeiras e jogos proporcionam uma experiência fundamental para o desenvolvimento emocional da criança: a frustração. E é durante a brincadeira que a criança aprende a lidar com esse sentimento, trabalhando sua resistência e, consequentemente, desenvolvendo seu equilíbrio emocional.

 

Simular e resolver situações e conflitos

Provavelmente você já viu uma criança brigando com um brinquedo ou boneco, repetindo o mesmo tratamento que já recebeu de um adulto. Isso acontece porque, a brincadeira oferece um ambiente propício para a expressão das emoções da criança, sendo uma maneira segura de encenar suas angústias e agressividade e tentar resolver, naturalmente, seus conflitos interiores.

 

Apurar sua criatividade

Obviamente, durante a brincadeira a criança tem uma oportunidade mágica de criar e trabalhar sua imaginação. Mas não para por aí: ela também consegue desenvolver sua capacidade de raciocínio lógico e aumentar seu poder de concentração e atenção. Em outras palavras, elas aprendem a interpretar a realidade e, mais além, pensar nela fora da caixa, de maneira criativa.

 

Experimentar diferentes papéis sociais

“Faz de conta que eu sou a mamãe”, “eu vou ser o professor”… Durante a brincadeira, as crianças assumem diferentes papéis sociais. É no faz de conta que elas são levadas a pensar como adultos e compreender seus comportamentos na tentativa de imitá-los, desenvolvendo conceitos como empatia, reconhecendo o mundo por outros olhos e aprimorando sua próprio interpretação sobre a vida.

 

Aprender a socializar

Cooperação, compartilhamento, comunicação, relacionamento interpessoal. Essas são algumas das características que as crianças desenvolvem (literalmente) brincando. É na necessidade de compartilhar um brinquedo que a criança aprende a dividir, isto é, o conceito de solidariedade. Durante a brincadeira, aprende-se a noção de respeito: respeitar a vez do outro, a presença do outro, a opinião do outro. E também o respeito por si mesmo e sua autoestima. Conceitos básicos para desenvolver habilidades de socialização.

 

Dicas do bem para os pais

 

  • Prepare o espaço: é importante que seus filhos tenham um espaço físico e também na agenda para brincar com segurança e tranquilidade. Decore esse canto da casa e permita que seja explorado e utilizado com criatividade e liberdade.
  • Escolha os brinquedos: eles não precisam ser caros ou complexos, apenas permitir que a criança tenha contato com diferentes aspectos e estímulos.
  • Pense nos contextos: o importante é permitir explorar a imaginação, a criatividade e estimular as interações sociais, seja ela com outras crianças ou mesmo adultos.
  • Brinque com seus filhos: E brinque muito! O envolvimento dos pais na brincadeira é fundamental para estreitar os laços afetivos com os filhos. Além disso, ainda aumenta a motivação e envolvimento das próprias crianças. Durante a brincadeira, os pais têm a oportunidade de educar e orientar seus filhos, ajudando a enriquecer e estimular a imaginação, despertando e explorando ideias e encorajando na busca por soluções, bem como contribuir com seu autoconhecimento e na gestão de emoções.

 

 

Portanto, sua presença é tão importante quanto a própria brincadeira. Esteja com seu filho nesses momentos tão fundamentais em sua formação.

 

Para saber mais, consulte um Pediatra do Bem!

Deixe uma resposta