A importância do silêncio e da meditação

A importância do silêncio e da meditação

Quanto minutos por dia você separa para si mesmo? Não para comer ou para ir à academia – atividades que geralmente não fazemos sozinhos -, mas para ficar simplesmente em silêncio ou, quem sabe, refletir e meditar sem nenhuma intervenção externa.

A resposta para essa pergunta geralmente está próxima do “zero” – o que não deveria ser tão comum assim.

Vivemos em um período de grande crescimento populacional. Casas largas dão lugares a prédios cada vez mais altos e repletos de apartamentos cada vez menores; a economia, antes baseada na concorrência empresarial, perde espaço para a economia compartilhada (afinal, para que mais taxis nas ruas, se os próprios cidadãos proprietários de veículos podem oferecer uma corrida?), sem mencionar a inserção intensa, consistente e profunda das tecnologias em nosso dia a dia. Você consegue imaginar a vida sem a TV ou, para falar de uma invenção mais recente, sem o Google?

Em outras palavras, quase nunca estamos sozinhos, sem estímulos externos, ou em silêncio. E a pergunta é: até que ponto isso é saudável?

Segundo o físico e escritor Alan Lightman, em uma tradução livre do inglês, “ao não darmos a nós mesmos os minutos – ou horas – livres de aparelhos e distrações, arriscamos perder nossa habilidade de saber quem somos e o que é importante para nós”. Em outras palavras, uma perda de identidade relacionada ao constante contato com os estímulos externos ao invés de internos.

A substituição dos momentos de puro silêncio e da prática da arte da contemplação pelo ritmo acelerado e obsessão por produtividade, inclusive em dias de folga, é uma ameaça invisível e perigosa para a saúde mental, física e (ironia aqui) para a própria produtividade.

Qual a importância do silêncio e quais são os benefícios?

Reservar um tempo para ficar simplesmente em silêncio é uma prática subestimada. Ficar (quase que literalmente) desconectado do mundo para se conectar consigo mesmo é um dos maiores presentes que você pode dar para si mesmo. Uma prova de amor. Mesmo assim, muito desafiadora.

Cada vez mais pessoas estão se permitindo esses minutos de tranquilidade. Se você já assistiu a algum episódio da série Billions, da Netflix, você provavelmente foi surpreendido com a descoberta de que os dois personagens principais, apesar de totalmente diferentes e rivais, reservam um tempo para sentar confortavelmente no meio do dia ou da noite, fechar os olhos e apenas aproveitar o relaxamento dessa prática até que o alarme do celular dispare o aviso de que o período chegou ao fim.

A própria prática da meditação transcendeu o conceito de ser adotada apenas por budistas e praticantes de yoga para atingir uma grande parte da população perseguidora de bem-estar e qualidade de vida. E, aqui, fazemos um grande parênteses: não é preciso ser religioso para meditar. A meditação trata da necessidade de desenvolver calma, praticar a consciência da sua própria existência e limpar a mente na busca por um estado de clareza mental e emocional.

E meditação? Quais os benefícios de meditar?

Quer entender por que você também deveria adotar esse hábito? Aqui vão alguns fatos relacionados não apenas ao silêncio, mas ao hábito de meditar:

  • O silêncio ajuda a combater estresse, ansiedade e depressão

Meditar promove efeitos positivos no cérebro. Pesquisadores descobriram que a parte do órgão que regula estresse e ansiedade encolhe quando a meditação é praticada de forma consistente. Ao focar apenas no momento durante a meditação, o cérebro é treinado a manter-se calmo, mesmo sob pressão ou frente a situações de estresse. Além disso, a ansiedade com relação ao futuro também diminui.

  • A imunidade também é beneficiada

É como parar para recarregar as energias e colocar a mente e o corpo em seus devidos lugares. Um descanso e relaxamento necessários. As próprias dores musculares são combatidas, uma vez que a postura adotada durante a meditação é correta.

  • Meditar contribui com a melhora da memória

Meditar é treinar a mente em manter-se no presente de uma forma sem julgamentos. O resultado: as distrações são reduzidas, sua concentração aumenta e, consequentemente, a capacidade da memória também.

  • Meditar traz felicidade

A meditação ajuda a construir pensamentos baseados em emoções positivas, como paz e calma, e novas formas de encarar e lidar com as situações ao nosso redor. Além disso, contribui com o autoconhecimento: se nos conhecemos, sabemos o que queremos. Assim, fica mais fácil saber o que nos traz felicidade.

  • Meditar combate a insônia

Dormir é uma necessidade. Aqueles que sofrem com insônia, seja ela ocasional ou crônica, possuem muita dificuldade em pegar no sono e sofrem os inúmeros efeitos negativos da privação do sono em sua saúde. A boa notícia é que o silêncio e a prática da meditação podem ajudar. Isso porque a meditação estimula tanto o relaxamento que, para algumas pessoas, o problema é o contrário: elas caem no sono assim que começam a meditar!

Meditação não é tirar tudo o que há em sua mente, mas sim ter consciência de como ela pode ser ocupada e do que está passando por ela. E apenas deixar esses pensamentos fazerem exatamente isso: passarem. Fazendo isso, por mais que o começo pareça assustador, você já estará um passo à frente da sua própria mente.

Trata-se, portanto, de uma prática simples, mas que vai trazer benefícios inclusive para quem está ao seu redor, no trabalho, em casa e onde for! Por que não experimentar, certo?

Mas, se você não for do tipo que medita, que tal tentar driblar a correria do dia a dia apenas para ficar em silêncio consigo mesmo? Adote um cantinho da sua casa ou do escritório e faça isso por você. Os benefícios virão, tanto para sua saúde física e mental, quanto para a social!

Compartilha seus avanços com a gente!

Quer ter acesso à solução completa de saúde? Acesse nosso site: www.consultadobem.com.br 😉

Deixe uma resposta