Já ouviu falar na Síndrome do Intestino Irritável?

Já ouviu falar na Síndrome do Intestino Irritável?

Sabe aquela sensação de dor abdominal? Ou aquela necessidade de abrir o botão da calça depois de comer? Se você sabe do que estamos falando porque passa por isso com certa frequência, você pode estar lidando com a Síndrome do Intestino Irritável (ou apenas SII)!

Se esse for mesmo o caso, você não está sozinho! Estima-se que cerca de 30% dos casos tratados por médicos Gastroenterologistas sejam de SII. Além disso, ela costuma dar seus primeiros sinais antes dos 35 anos de idade, sendo mais comum entre o público feminino.

O que é a Síndrome do Intestino Irritável?

A SII é um distúrbio crônico que afeta os intestinos, alterando o trânsito intestinal, sem nenhuma causa aparente. Em outras palavras, o intestino que sofre desse quadro não funciona da forma esperada.

Você já ouviu falar dos movimentos peristálticos? Esse é o nome dado aos movimentos de contração e relaxamento que os músculos das paredes dos intestinos realizam de forma a empurrar os alimentos ingeridos sejam ao longo de todo o tubo digestório. Conforme os alimentos passam pelos intestinos, os nutrientes e a água são absorvidos até que restem apenas fezes.

No paciente com SII, essas contrações não acontecem de forma coordenada. Elas podem ser:

  • Mais intensas e prolongadas, acelerando o trânsito gastrointestinal, o que provoca gases, cólicas e diarreia;
  • Mais fracas e menos frequentes, o que faz com que torna o trânsito intestinal lento, aumentando o tempo para absorção de nutrientes, como a água, e favorecendo a formação de fezes secas e duras, o que ocasiona a constipação intestinal;
  • Oscilantes, variando entre momentos de diarreia e constipação e apresentando um quadro misto de sintomas.

Qual é a causa da Síndrome do Intestino Irritável?

Ainda não se sabe ao certo qual é a causa desse distúrbio! Mas há alguns fatores que podem estar envolvidos ao desenvolvimento da síndrome, e que vêm sendo muito estudados pela medicina:

1- Alimentação: apesar de ainda não saber como, mas há a possibilidade de algumas intolerâncias alimentares (como ao glúten e à lactose, por exemplo) e alergias estarem relacionadas à SII. Em diversos casos, os sintomas costumam aparecer após a ingestão de alimentos como chocolate, especiarias, gorduras, frutas, feijão, repolho, couve-flor, brócolis, leite, bebidas gaseificadas, álcool, entre outros.

2- Estresse: há a possibilidade, também, que a SII esteja relacionada ao estresse! A maioria das pessoas que possuem esse distúrbio possuem seus sintomas agravados. Além disso, ainda relacionado ao estresse, momentos de extrema ansiedade ou nervosismo também podem ser fatores agravantes.

3- Hormônios: devido a esse fator, as mulheres são mais propensas a desenvolver a SII! As mudanças hormonais podem ser um fator influenciador, além de muitas mulheres apresentarem uma piora nos sintomas no período próximo à menstruação.

4- Outras doenças: outras doenças ou complicações podem estar relacionadas ao desenvolvimento do distúrbio, como episódios de diarréia ou crescimento excessivo de bactérias normais do intestino.

 

Quais são os sintomas da Síndrome do Intestino Irritável?

Além da diversidade de sintomas, que variam de caso para caso, a SII costuma alternar fases de agravamentos dos sintomas com períodos praticamente assintomáticos. De modo geral, os sintomas envolvem:

  • Dor abdominal ou cólicas, especialmente durante o dia;
  • Sensação de inchaço;
  • Intestino preso;
  • Diarreia;
  • Excesso de gases.

Diagnóstico e tratamento da Síndrome do Intestino Irritável

Um fator importante para o diagnóstico é a presença desses sintomas com a ausência de sinais de febre, sangramento ou emagrecimento espontâneo. Além disso, geralmente, os sintomas melhoram com a evacuação.

O diagnóstico, portanto, é realizado por um Gastro do Bem, baseado no quadro sintomático e sua avaliação cuidadosa. Como a SII não possui uma causa orgânica aparente, os exames laboratoriais ou de imagem, como colonoscopia, raio-X do trato gastrointestinal e tomografia computadorizada e cultura de fezes, são realizados para descartar outras doenças. No caso da SII, eles costumam dar um resultado normal, isto é, sem variações ou sinais de infecções ou inflamações. Na realidade, se houver qualquer alteração nos exames, há grandes chances de os sintomas estarem relacionados a outro distúrbio ou doença, descartando a possibilidade de SII.

Uma vez diagnosticada a doença, como sua causa é desconhecida, o tratamento é focado no alívio dos sintomas para melhora na qualidade de vida. Para isso, além do uso de medicamentos receitados pelo Doutor, a recomendação é a realização de mudanças no estilo de vida do paciente.

É importante que haja uma alteração na alimentação diária. Apesar de não haver uma orientação padrão, com uma dieta fixa recomendada para todos os pacientes, uma vez que a doença difere de pessoa para pessoa, alguns alimentos podem ser eliminados, como bebidas gaseificadas, alimentos gordurosos, produtos lácteos, álcool, cafeína e glúten. Uma dica importante é identificar o gatilho, isto é, o alimento mais propenso a desencadear os sintomas, e evitá-lo. Em contrapartida, é fundamental beber bastante líquido ao longo do dia, para manter o organismo hidratado, além de realizar pequenas refeições durante todo o dia.

É possível diminuir os sintomas por meio de uma alteração na dieta, mas também da diminuição do estresse e mudanças no estilo de vida. Isso porque a SII é uma doença com fundo emocional, isto é, fatores psicológicos podem desempenhar um importante papel tanto em sua origem, quanto na potencialização das crises. A pessoa que tem um nível de estresse contínuo pode desencadear uma oscilação maior nos sintomas, por isso o estresse deve ser evitado. Dessa forma, a principal dica preventiva é manter um estilo de vida saudável.

Converse com um Doutor do Bem para saber mais sobre a Síndrome do Intestino Irritável e melhore sua qualidade de vida! Encontre o mais próximo de você aqui www.consultadobem.com.br 😉

Posts relacionados

1 Response

  1. Olga Fonseca dos Santos

    Tenho este sintomas há mais 10 anos….trato com medicamentos como leiba ou degedrat, mas sem resultado eficiente. Realmente se como chocolate, leite, glúten,ou coisas gordurosas…diarreia na certa.MEU estresse desde que nasci….assim penso eu, mas a diarreia é diária.

Deixe uma resposta