Longevidade: qual é a fórmula para viver muito?

Longevidade: qual é a fórmula para viver muito?

A grande maioria das pessoas quer viver muito e viver bem – com saúde e de forma ativa! Mas qual é a fórmula pra isso?

Você já percebeu a obsessão da cultura ocidental sobre viver mais (ou mesmo eternamente)? Ela é retratada no cinema, com vilões que almejam encontrar a poção da juventude (entre outros), nos livros, na música e mesmo na religião. Contudo, na vida real, quem acaba dominando essa arte são os orientais, com um estilo de vida focado no equilíbrio e em uma vida mais saudável.

Você já parou para observar uma pessoa mais velha, na terceira idade, e ainda ativa e se perguntou como ela conseguiu chegar até lá? Porque, é claro, não basta apenas viver mais, é preciso viver livre de doenças e cheio de energia. Mas como?

Apesar de não existir fórmula mágica, como no cinema, a boa notícia é que, conforme a medicina avança, novas descobertas são realizadas. Não é novidade que existe uma influência genética sobre o fator longevidade, que associa a maior presença de genes como o APOE, FOXO, SIRTs, TERC e TERT (genes relacionados à longevidade) a ausência de outros genes que causam doenças. Agora, estudiosos pesquisam entre populações que apresentam alta longevidade para analisar seus hábitos e o que os diferencia das demais populações.

E as descobertas são interessantes: o estilo de vida pode influenciar, tanto positiva quanto negativamente, na ativação ou inibição dos genes relacionados à longevidade.

Você é o que você come! Como a alimentação nos ajuda a viver muito?

Claro, encabeçando a lista de hábitos importantes para uma vida mais longa está a dieta. A alimentação determina a presença de nutrientes importantes para evitar doenças no organismo. Mas não para por aí. Ela também ajuda a viver mais.

Siga a receita:

Carboidratos: os inimigos.

Os carboidratos, alimentos que contêm açúcar refinado e farinha branca, devem ser enfaticamente evitados e substituídos por carboidratos integrais, de preferência com alto teor de fibras.

O mundo é dos vegetais!

Eles devem ser a prioridade e ocupar a maior parte do prato.

Falou em proteína, falou em peixe.

Os peixes devem ser a principal fonte de proteína animal. Frango, carne vermelha entre outros devem aparecer só às vezes.

Gorduras? Só se forem de boa qualidade.

Esqueça a gordura trans e o excesso de gorduras saturadas. Se você quer viver mais (e melhor) a dica é usar gordura insaturada, gorduras boas, como o azeite de oliva.

Adeus aos industrializados.

Substitua os alimentos industrializados, repletos de conservantes e outros elementos químicos e artificiais, por alimentos mais naturais e que realmente são capazes de trazer benefícios para a saúde.

E tem mais:

Para proteger o DNA: consuma diariamente os vegetais crucíferos, como a couve, rúcula, brócolis e couve de bruxelas.

Para ativar as vias sirtuínas, uma via relacionada à longevidade: aposte na curcumina, um tipo de raiz usada como tempero, e na quercetina, um flavonóide natural encontrado em alimentos, como a cebola e a maça.

Para ativar a metilação do DNA: consuma tomate, molho de tomate natural etc.

Para ativar também o Foxo: pode tomar aquela tacinha de vinho tinto ou apenas comer uvas. Ambos possuem resveratrol, um polifenol que funciona como um antioxidante no organismo e trazendo diversos benefícios à saúde.

Para saber mais, o ideal é conversar com um Nutricionista do Bem!

Quer ter acesso à solução completa de saúde? Acesse nosso site: www.consultadobem.com.br 😉

Posts relacionados

Deixe uma resposta