O que é Escoliose e como saber se eu tenho?

O que é escoliose e como saber se eu tenho?

Uma coluna vertebral saudável, quando vista de cima para baixo, tem todas as vértebras alinhadas perfeitamente umas com as outras.

Uma coluna com Escoliose, por sua vez, apresenta um desvio, isto é, uma curvatura lateral para a direita ou para a esquerda. O resultado é um formato visível de S ou C na coluna.

Os 3 tipos principais de Escoliose

  • Escoliose idiopática:

    O tipo mais comum e com causa desconhecida;

  • Escoliose congênita:

    Quando as malformações já estão presentes antes da criança nascer, ainda dentro do útero, ou quando uma ou mais vértebras se desenvolvem de forma anormal durante o crescimento da criança;

  • Escoliose Neuromuscular:

    Decorrente de alguma doença neurológica ou muscular, é resultado de um desequilíbrio muscular, trauma ou doenças de caráter degenerativo ou sindrômico, por exemplo;

Fatores de risco da Escoliose

Alguns fatores são considerados de risco para o desenvolvimento da Escoliose, tais como:

  • Possuir histórico familiar: a escoliose é mais comum entre membros de uma mesma família que apresentem a doença;
  • Estar em fase de crescimento: a curvatura tende a surgir no período entre o começo da adolescência e os 15 anos;
  • Ser mulher: apesar de ser comum nos dois sexos, a doença afeta mais mulheres do que homens.

Como saber se tenho Escoliose?

Se um ombro parecer mais alto do que o outro ou os quadris parecerem assimétricos, muito provavelmente trata-se de um quadro de Escoliose. Nesse caso, pode haver desconforto muscular de tempos em tempos. Contudo, apenas observando, pode não ser tão simples identificar a curvatura nos estágios iniciais.

Para confirmar o diagnóstico, o Doutor analisará o seu histórico clínico e realizará o exame físico, que consiste em avaliar a coluna em busca de sinais da doença, bem como um exame neurológico, na tentativa de verificar a musculatura e os reflexos. Além disso, podem ser solicitados exames de imagem para ter uma visão mais detalhada sobre o quadro, como o raio-X e a tomografia computadorizada.

Como tratar a Escoliose?

A causa, gravidade e localização da Escoliose vai determinar o tipo de tratamento. Outro ponto importante é a etapa na fase de crescimento em que o paciente está. Em muitos casos, quando a curvatura ainda está inferior a 20 cm, a observação já é suficiente enquanto são realizadas reavaliações exames e clínicas.

Se a curvatura está em um grau mais grave, acima de 25 graus, o uso de órteses (coletes) costuma ser recomendado para ajudar a retardar a progressão da doença, mas não é capaz de reverter a curvatura.

Para reparação da curvatura, a opção é a cirurgia, especialmente para curvas acima de 40 cm. Ela é recomendada apenas após a fase de crescimento dos ossos do esqueleto se encerrar. Contudo, algumas crianças podem precisar de cirurgia antes disso, dependendo da gravidade ou do ritmo da progressão da doença.

A cirurgia é realizada por meio de um corte nas costas, abdômen ou sob as costelas para correção da curvatura, encaixe dos ossos e inserção de hastes de metal para sustentação. Em alguns casos, uma órtese pode ser necessária no pós-operatório. Apesar de não corrigir 100% da curvatura, é uma forma de diminuir e controlar a curva.

Como prevenir a Escoliose?

Não é possível se prevenir contra Escoliose. Contudo, é possível evitar sua evolução ou complicações, como problemas respiratórios, por meio de exames preventivos e consultas regulares a um ortopedista.

Quer ter acesso à solução completa de saúde? Acesse nosso site: www.consultadobem.com.br 😉

Posts relacionados

Deixe uma resposta