Corpo alcalino e sua importância na prevenção de doenças

Corpo alcalino e sua importância na prevenção de doenças

Ter um corpo alcalino significa evitar todos os tipos de doença, inclusive o câncer. Ou pelo menos é isso o que costumamos ouvir por aí.

Mas será que é verdade?

A realidade é que, atualmente, várias doenças ainda permanecem sem vacinas ou tratamentos específicos e eficazes. O objetivo, portanto, passa a ser a prevenção. E, segundo vários estudos, ela é possível por meio da adoção de um estilo de vida mais saudável, ou seja, alcalino.

Alcalino significa básico. A teoria do corpo alcalino resgata todos aqueles conhecimentos das aulas de química, quando o professor explicava a diferença entre substâncias com pH ácido e com pH básico, agora aplicados para alcançar um estilo de vida mais saudável e equilibrado.

Pode ser que não exista medicamento ou dieta milagrosa, mas certamente é possível considerar aspectos simples, como manter um pH equilibrado, para desfrutar de uma vida melhor. E é disso que fala um corpo alcalino.

O que significa ter um corpo alcalino?

É possível mensurar a acidez ou a alcalinidade pelo sangue por meio de uma escala que vai de 0 até 14. O nível mais adequado é a metade, cerca de 7,4. Quando há um aumento no nível de acidez no corpo, ele entra em um desequilíbrio que faz o organismo buscar por mais nutrientes, inclusive nos órgãos, para compensar a diferença. A partir disso, vários problemas podem surgir.

A forma mais evidente de perceber a acidez pode ser na saliva ou na urina. O corpo começa a perder nutrientes e minerais e os principais sinais são: as unhas ficam fragilizadas, há queda de cabelo, cansaço inexplicável e sem causa aparente e dores no corpo e cabeça.

O que torna o corpo mais ácido?

Estresse, dieta inadequada, sedentarismo, fumar e qualquer tipo de contaminação. Esses são os vilões de um corpo alcalino.

Como manter o corpo alcalino?

A ideia é tentar manter sempre um corpo com um nível de pH próximo de 7,4.

Provavelmente você já ouviu comentários sobre vários famosos que gostam de começar o dia tomando um copo de água com gotinhas de limão, certo? A origem disso está na famosa dieta alcalina. Trata-se de uma dieta baseada em alimentos básicos (alcalinos), ou seja, um plano alimentar em que o consumo de alimentos ácidos é reduzido para evitar deixar o pH do organismo mais ácido.

E aí você poderia se perguntar: “mas o limão não é um alimento ácido?” E a resposta é sim! Contudo, os alimentos são classificados segundo a quantidade de resíduos que deixam no organismo após serem digeridos e metabolizados, e não por seu sabor.

Assim, existe uma dieta e uma lista de alimentos considerados ideias para manter uma dieta mais alcalina, bem como outras ações paralelas que podem contribuir com um corpo mais alcalino.

A chave está no equilíbrio! Previna-se contra doenças.

Isso não significa cortar totalmente o consumo de alimentos ácidos, mas sim consumir e aproveitar os benefícios de ambos de forma equilibrada, para evitar a acidez.

E não tem muito segredo. Os alimentos que devem ser consumidos com moderação são: açúcar, sal, leite (todos os lácteos), farinha branca, café, chocolate ao leite, carne vermelha, frituras, álcool e refrigerantes gaseificados. Além disso, existem os alimentos industrializados, com muitos processos químicos que, no corpo, se comportam como ácidos.

Por outro lado, alguns alimentos não podem sair da dieta, tais como: o limão (como já dito), os legumes e folhosas verde-escuras, como a couve, couve-de-bruxelas, couve-flor, espinafre, brócolis, agrião, repolho, alho, cebola, tomate, gengibre, pepino e abacate.

Além da dieta, é fundamental combater o sedentarismo. A lógica é a seguinte: é preciso eliminar toxinas e elevar a presença de oxigênio e nutrientes no sangue. A atividade física promove um funcionamento diferente do organismo, que passa a liberar mais enzimas, hormônios e aumentar a circulação sanguínea, o que intensifica a absorção de nutrientes.

Tudo é uma questão de equilíbrio. Como fazer isso? Com uma simples caminhada diária ou outros exercícios que deem prazer para você.

O controle do estresse é outro ponto importante. Longos períodos de ansiedade ou estresse são o cenário perfeito para elevar os níveis de acidez no organismo, uma vez que dão lugar a desequilíbrios químicos. O estresse torna o pH mais ácido, deixando, inclusive, o metabolismo mais lento. O ideal, nessas horas, é simplesmente respirar. E, em seguida, resolver a situação na raiz para eliminar o estresse. Sempre respirando.

Quer ter acesso à solução completa de saúde? Acesse: www.consultadobem.com.br 😉

Posts relacionados

Deixe uma resposta