O que representa a celulite?

Provavelmente, você já percebeu que a celulite é muito mais comum entre mulheres do que homens. Mas por quê? Quais as principais causas e preocupações relacionadas à celulite? Trata-se de uma questão exclusivamente de aparência ou tem impactos na saúde também? Vamos responder a essas perguntas!

 

“Todas as mulheres do mundo têm ou terão algum dia celulite”, segundo a dermatologista Doris Hexsel, autora do livro “Anticelulite”.

 

A celulite é uma condição muito comum, especialmente nos membros inferiores, como pernas, nádegas e quadris. Não é grave no aspecto médico, mas pode causar problemas sérios na autoestima das mulheres, devido à aparência que confere à pele.

 

A realidade é que a presença de celulites pode indicar problemas de saúde mais graves, não só psicológicos, mas também relacionados à má alimentação e ao sobrepeso, como a obesidade.

 

A pele que apresenta celulites parece ter furos ou depressões, como covinhas. Nos casos mais graves, ela parece ter passado por um acidente. Nos mais leves, só pode ser vista quando a pele é comprimida.

 

Isso acontece porque a celulite é uma alteração fisiológica da arquitetura da pele, causada por alterações no tecido gorduroso, juntamente com alterações na microcirculação e no aumento do tecido fibroso. Os grandes vilões são a gordura, a água e as toxinas. Quando combinados e acumulados dentro das células, esses fatores dão origem à Lipodistrofia Ginóide, nome técnico da popularmente conhecida celulite, tornando-as inchadas e endurecidas, conferindo ao local uma aparência cheia de desníveis e nódulos.

 

A celulite possui graus

Quando a celulite é vista apenas ao apertar a pele, ela está no grau 1. Com o aumento do inchaço, há a formação de fibrose (tecido endurecido cicatricial) sob a pele. A fibrose dificulta ainda mais a circulação, elevando o inchaço, o acúmulo de gordura e a retenção de líquido.

Quando as irregularidades superficiais já são vistas sem apertar a pele, a celulite chegou ao grau 2. Com o aumento da fibrose e retenção de líquido pela gordura, há uma piora no quadro.

 

Quando pequenos vasos começam a surgir na região, a celulite está no grau 3. Ela chega ao grau 4, quando as o inchaço e a fibrose são abundantes e endurecem a pele, e possível sentir dor frequente, sem contar que torna-se mais fácil perceber as irregularidades da pele

 

A celulite e o excesso de peso

Qualquer tipo de pessoa pode ter celulite. A celulite não necessariamente significa sobrepeso. Contudo, quando a pessoa está acima do peso, emagrecer pode significar melhorar o aspecto da celulite.

 

Na realidade, o que importa é o equilíbrio entre a quantidade de gordura corporal e de massa muscular: uma pessoa magra pode apresentar excesso de gordura corporal, mantendo seu peso normal (ou até abaixo do ideal). E é esse excesso de gordura, quando associado a outros fatores, que resultarão na formação da celulite.

 

Entre os outros fatores estão, especialmente, o cigarro, o estresse, a má alimentação, sedentarismo, metabolismo lento, desidratação e alterações hormonais (por isso, também, a celulite é mais comum entre mulheres).

 

Dicas do bem para lidar com a celulite

A melhor forma de combater a celulite é conhecendo suas causas. Contudo, na maioria das vezes, uma mudança de hábitos é suficiente para melhorar o aspecto dos furinhos que já existem e evitar que novos surjam (contribuindo também com a melhora da saúde de uma forma geral). Saiba como:

 

  • Mantenha uma dieta balanceada e evite frituras e doces. O consumo exagerado de gorduras e carboidratos simples, como os açúcares e doces, favorecem o surgimento da celulite;
  • Reduza a ingestão de sal: o excesso de sódio contribui com a retenção de líquidos. Para diminuir seu consumo, basta evitar alimentos enlatados ou processados, bem como conservantes e substâncias artificiais;
  • Beba 2 litros de água ao longo do dia: a ingestão de líquidos ajuda a eliminar toxinas, grandes vilãs no combate à celulite;
  • Pratique atividades físicas: a celulite é resultado de problemas circulatórios., a atividade física é primordial. Além de ajudar a eliminar a gordura localizada no quadril e nos glúteos, os exercícios melhoram a circulação e, consequentemente, o aspecto da pele.
  • Evite o excesso de salto alto e as profissões que exigem muito tempo em posição sentada, pois prejudicam a circulação e predispõem ao aparecimento da celulite. Levante da cadeira a cada duas horas, use as escadas e ande mais a pé!
  • Livre-se do estresse: o estresse crônico causa alterações no organismo que podem levar a um desequilíbrio hormonal. Por isso, é fundamental evitar situações estressantes e investir em hábitos de vidas mais saudáveis e relaxantes.
  • Evite o cigarro.

 

Se a celulite incomodar muito, existem diversos outros métodos e tratamentos, invasivos e não invasivos, que podem ajudar, entre eles:

 

  • Creme anticelulite

    Apesar de não surtir um efeito visível, quando combinado a mudanças de hábitos, pode estimular uma leve melhora no aspecto da celulite, por trabalhar na microcirculação e no estímulo à produção de colágeno.

  • Drenagem linfática

    Embora seja mais indicada para os casos iniciais, o procedimento é recomendado para qualquer grau de celulite e consiste em uma massagem especializada na melhora da circulação, eliminação de líquidos e redução de pequenos nódulos de gordura retidos no tecido.

  • Endermologia

    Indicado para os graus moderados a graves, a endermologia é um tratamento não invasivo que promove resultados visíveis. Por meio de um aparelho motorizado, são feitos movimentos sobre a pele que estimulam a circulação e a drenagem linfática na região.

  • Radiofrequência

    Indicado para todos os graus de celulite, a radiofrequência é um dos tratamentos mais eficazes e duradouros, além de não ser invasivo e não causar danos à pele. Ele consiste na utilização de radiação eletromagnética de alta frequência para estimular o aumento da temperatura (por meio da agitação das moléculas de água), bem como a produção de colágeno.

  • Mesoterapia

    O tratamento consiste na aplicação de um coquetel de medicamentos para diminuir a gordura no local tratado. Contudo, esse é um procedimento invasivo que pode, inclusive, deixar hematomas, sendo essencial combiná-lo a mudança de hábitos alimentares e de saúde.

  • Cirurgia a Laser

    Com anestesia local, são feitas duas incisões na pele para aplicar o laser diretamente na gordura localizada, melhorando o aspecto irregular da pele e estimulando a produção de colágeno. Invasivo, o procedimento apresenta os riscos de uma microcirurgia e não é livre de dor.

 

Se quiser saber mais sobre os tipos de tratamentos e suas indicações, consulte um Doutor do Bem. E lembre-se: a celulite pode ser um sinal de um estilo de vida prejudicial à saúde, que pode desencadear problemas muito mais sérios.

 

Se você tiver essa preocupação, o importante é conversar com um bom médico. Marque uma consulta com um Dermatologista do Bem.

Deixe uma resposta