O que você precisa saber sobre a Malária!

O que você precisa saber sobre a Malária!

Causa de várias pandemias pelo mundo, a malária é mais uma doença infecciosa transmitida por mosquitos. Neste caso, os Anopheles – mais especificamente as fêmeas – que se alimentam de sangue humano. Este é um dos insetos considerados mais mortais para os seres humanos, e eles têm apelidos: muriçoca, carapanã, sovela, mosquito-prego e bicuda.

A malária é causada por protozoários do gênero Plasmodium que contaminam o mosquito que, por sua vez, transmitem o microorganismo para o ser humano após a picada.

Como ainda não existe vacina eficaz contra a malária, ela é considerada uma doença muito comum, especialmente em países tropicais e em desenvolvimento. Só no Brasil existem em torno de 50 espécies deste mosquito. Contudo, a imensa maioria está na região Amazônica, que concentra 99,5% dos casos de malária.

Por ser uma doença de progressão rápida, podendo atingir órgãos vitais, é considerada uma emergência médica. Trata-se, na realidade, de uma infecção perigosa e que pode levar à morte: estima-se que ela cause 660.000 óbitos por ano, especialmente por causa de anemia ou falência dos órgãos.

O que acontece se eu for picado pelo mosquito contaminado?

Ao ser picado por um mosquito que já picou uma pessoa contaminada com o protozoário anteriormente, a pessoa contrai o parasita. Esse se locomove até o fígado onde fica alojado até alcançar a maturação (esse processo pode durar dias ou até mesmo anos). Uma vez maduros, os parasitas começam a migrar para a corrente sanguínea, se reproduzindo a partir da destruição das hemácias (glóbulos vermelhos). Um processo que acontece de forma rápida e intensa.

A partir dessa destruição começam os sinais da doença.

Sintomas da Malária

Os principais sintomas de uma pessoa contaminada são febre, calafrios, suor intenso, tremedeiras, náuseas, vômitos, tontura, diarreia, dor abdominal, entre outros. Em alguns casos, é possível que haja anemia, devido à perda de glóbulos vermelhos.

Se o parasita chegar aos órgãos, os sintomas e complicações ficam mais graves, incluindo: insuficiência renal, dificuldade para respirar, icterícia, pressão baixa, hipoglicemia, edema pulmonar, convulsões e coma.

Transmissão da Malária

Apesar de ela não ser uma doença contagiosa, precisando de um vetor (o mosquito) para sua transmissão, como o parasita se encontra no sangue, outras formas de transmissão também são possíveis, como a transfusão sanguínea, da mãe para o feto e no compartilhamento de seringas e agulhas.

A malária tem cura?

Sim! Apesar do número alto de óbitos, é possível eliminar totalmente o parasita do organismo por meio do uso de medicamentos contra os parasitas do gênero Plasmodium.

Mas atenção! Conseguir curar a doença uma vez não significa desenvolver imunidade contra o parasita. É possível contrair a doença novamente no futuro se houver nova contaminação. A boa notícia é que, pessoas que estão mais expostas ao mosquito costumam apresentar uma imunidade parcial, isto é, seus sintomas costumam ser menos severos.

De todo modo, a prevenção é fundamental e algumas medidas são necessárias para combater a doença:

  1. Usar cortinas, mosquiteiros ou telas de proteção em janelas e portas;
  2. Evitar lugares com grande potencial para criadouros, especialmente no fim da tarde e amanhecer, quando os mosquitos estão mais ativos;
  3. Utilizar mangas e calças compridas quando estiver ao ar livre para limitar a área em que o mosquito pode picar;
  4. Usar repelentes a base de DEET (N-N-dietilmetatoluamida), com exceção de crianças até 2 anos idade.

Quer ter acesso à solução completa de saúde? Acesse: www.consultadobem.com.br 😉 

Posts relacionados

Deixe uma resposta