Os principais sinais de desidratação

Os principais sinais de desidratação

Sempre ouvimos dizer sobre a importância de beber pelo menos 2 litros de água diariamente. Mas por quê?

O corpo humano é composto por cerca de 65% de água em homens adultos e 60% em mulheres. A água compõe nosso sangue, os músculos, gordura e até o tecido ósseo. Além disso, ela é fundamental para nutrição das células e realização de praticamente todas as funções do organismo.

Perdemos água continuamente, seja no suor, na urina, fezes e até mesmo na respiração, que sai em forma de vapor. A desidratação acontece quando utilizamos ou perdemos mais água do que consumimos. E pode ser bastante perigosa para a saúde, levando a complicações graves como insolação, edema cerebral, insuficiência renal e até mesmo morte.

Quais os sinais da desidratação?

  • Sede

A sede é o sinal clássico da desidratação. Contudo, nem sempre ela é o sintoma mais confiável na prevenção contra o problema, especialmente em crianças e idosos em idade mais avançada.

  • Cor da urina

Este é o melhor indicador. Quanto mais amarelada a urina, maior a urgência de se hidratar.

  • Diminuição do volume da urina

  • Boca Seca

  • Escassez de saliva

  • Cansaço

  • Pele ressecada

  • Prisão de ventre

  • Dor de cabeça

 

Se a desidratação persistir, ela pode evoluir para um estágio mais avançado, apresentando sintomas como a sede extrema, exaustão, irritabilidade, pouca ou nenhuma produção de urina ou de lágrimas ao chorar, pele superseca e sem elasticidade, pressão arterial baixa e batimento cardíaco rápido e respiração rápidos e febre. Em casos mais graves, é possível que haja delírios e perda da consciência. Nesse caso, é preciso buscar ajuda médica imediata.

Como tratar a desidratação?

Aos primeiros sinais de desidratação, é fundamental beber água em doses moderadas, aos poucos, para o corpo conseguir absorvê-la. Ingerir bebidas isotônicas ou chupar cubos de gelo podem ajudar no processo. O ideal é realizar a reposição de líquidos via oral se não houver náusea e vômitos. Caso contrário, a reposição intravenosa é a melhor opção.

Em casos em que a desidratação ocorre devido à exposição ao calor, o foco é tentar reduzir a temperatura corporal do paciente, retirando ou afrouxando suas roupas, borrifando água ou levando o mesmo para um ambiente com ar condicionado. Mas cuidado para não reduzir a temperatura de forma excessiva, caso contrário o frio elevará ainda mais sua temperatura corporal.

Como evitar a desidratação?

Algumas dicas do bem são fundamentais para evitar a desidratação. Confira:

  • Evite se exercitar em dias muito quentes. O calor intenso resulta em perda excessiva de água;
  • Ingira quantidades extras de água quando perceber que está suando. É preciso repor todos os líquidos que estão sendo perdidos de alguma forma!
  • Beba água se for consumir álcool em dias quentes. O álcool é diurético, isto é, aumenta a perda de líquido pela urina.

Quer ter acesso à solução completa de saúde? Acesse: www.consultadobem.com.br 😉

Deixe uma resposta