7 dicas para amenizar os principais desconfortos na gravidez

7 dicas para amenizar os principais desconfortos na gravidez

Gravidez é sinônimo de transformação. O corpo da mulher muda muito enquanto um novo ser humano começa a ser formado ali mesmo, dentro de seu útero.

Cada transformação traz seu próprio conjunto de desconfortos – como é o caso das dores nas costas, vontade de urinar mais frequentemente e até a falta de ar.

O normal é que esses incômodos desapareçam assim que a gestação termine. Contudo, enquanto isso não acontece, algumas medidas podem ser seguidas para tornar a gravidez um período muito mais agradável e saudável. Afinal, trata-se de uma das fases mais mágicas e marcantes da vida de qualquer casal.

Quais são e como amenizar os principais desconfortos na gravidez?

Confira nossas Dicas do Bem:

1. Falta de ar

Com o útero ficando cada vez maior, pressionando o diafragma, a respiração pode ficar mais difícil, tornando atividades como subir as escadas um grande desafio. Portanto, a dica é simples: tenha calma com você mesma. Faça as coisas com tranquilidade, sem se preocupar ou exigir demais de si mesma.

Respirar pode ser um desafio inclusive em repouso, na hora de dormir, por exemplo. Nesse caso, o ideal é encontrar uma posição parcialmente sentada, apoiada em almofadas.

2. Aumento da frequência urinária

Outro sintoma extremamente comum é o aumento da frequência urinária na gravidez. A elevação nos níveis do hormônio progesterona, em conjunto com o útero, causa uma pressão sobre os intestinos e a bexiga, aumentando a vontade de urinar. Para evitar que isso atrapalhe a noite de sono, basta reduzir a ingestão de água no período do fim da tarde à noite, consumindo bastante água apenas ao longo do dia.

3. Constipação intestinal

Um dos impactos causados pela elevação dos níveis de progesterona é o afrouxamento dos tecidos do corpo da mulher – um fenômeno fundamental para facilitar a expansão do útero com o crescimento do feto. Como essa expansão, a capacidade de contração intestinal é reduzida, o que prejudica o funcionamento do intestino e dificulta o trânsito intestinal.

Para evitar o desconforto, é importante evitar alimentos gordurosos, como frituras e açúcar em excesso e dar preferência ao consumo de frutas, verduras, legumes e cereais integrais e beber bastante líquido ao longo da manhã e tarde. Isso porque as fibras ajudam a regular o funcionamento do intestino. Consulte um Nutricionista do Bem também para entender mais!

4. Azia e indigestão

Comuns no terceiro trimestre, a azia e indigestão ocorrem devido ao desaceleramento do sistema gastrointestinal durante a gestação, que tende a relaxar a musculatura do estômago e do esôfago, permitindo que os ácidos digestivos subam para o esôfago e boca. Daí a sensação de queimação na garganta, isto é, a azia.

Para lidar com o desconforto, o ideal é comer em pequenas quantidades e fazer várias refeições ao longo do dia, o que manterá os ácidos estomacais trabalhando na digestão ao invés de voltarem. Não deitar logo após comer e não jantar logo antes de ir dormir são recomendações fundamentais para quem sofre com os sintomas, bem como evitar ingerir líquidos com a comida.

5. Piora ou surgimento de cravos e espinhas

Outro sinal provocado pelas alterações hormonais da gestação é o aumento da oleosidade da pele, que dá origem a um quadro de acnes, cravos e espinhas a partir das primeiras semanas de gravidez. Uma consulta com um Dermatologista do Bem pode ser necessária para controlar a oleosidade da pele.

6. Enjoos e vômitos

Um dos sintomas de gravidez mais famosos são os enjoos e náuseas. Eles ocorrem, especialmente, no período da manhã, como resultado da produção mais elevada de hormônio Beta HCG ao acordar. É comum que o sintoma surja após a 6ª semana de gestação e permaneça ao longo de toda a gravidez. Uma boa dica para lidar com ele é evitar alimentos com cheiro muito forte ou que possam provocar enjoos.

7. Dores no corpo

Durante a gestação, é comum sentir dores musculares e nas articulações. Isso acontece, especialmente, devido ao aumento excessivo de peso e à adoção de uma postura inadequada. Por exemplo, é muito comum que a mamãe reclame de dores nas costas. O motivo é simples: na maioria das vezes, sua postura consiste em projetar a barriga para frente e o quadril para trás, aumentando o peso sobre a lombar.

Os cuidados com a postura visando mais qualidade de vida e controle de dores começa nas ações de rotina:

  • Ao levantar da cama, mexa as mãos e pés em movimentos circulares para aquecer as articulações e prepará-las para o movimento. Antes de levantar, vire-se de lado e apoie o tronco sobre o cotovelo, posicionando as pernas fora da cama. Nunca flexione o tronco durante esse movimento, para não sobrecarregar a coluna;
  • Ao ficar em pé, mantenha o peso do corpo sobre a parte anterior dos pés, evitando a sobrecarga nos calcanhares;
  • Ao se deitar, sente-se na beira da cama, apoie o tronco sobre o cotovelo e gire de costas, colocando as pernas sobre a cama;
  • Ao dormir, utilize dois travesseiros: um que preencha perfeitamente o espaço entre os ombros e a cabeça e outro posicionado entre as pernas para promover conforto para a gestante;
  • Ao descansar durante o dia, coloque os pés para cima – isso ajudará na circulação em todo o corpo. Além disso, realize movimentos com os pés para alongar a musculatura posterior das pernas e ativar a circulação.

Quer ter acesso à solução completa de saúde? Acesse: www.consultadobem.com.br 😉 

Posts relacionados

Deixe uma resposta